7 dicas essenciais para melhorar o cronograma de obras

7 dicas essenciais para melhorar o cronograma de obras

O grande impacto do cronograma de obras em uma organização e gestão eficiente dos projetos exige que ele seja prioridade da construtora.

Tempo é dinheiro para quem paga e para quem produz. Na construção civil essa máxima é ainda mais verdadeira. Cada segundo perdido, cada atraso, cada desperdício de tempo pode significar uma bola de neve que cresce até levar ao prejuízo do projeto.

Obras possuem prazos, acordados com o cliente e dependentes dos trabalhos de muitas pessoas no canteiro. Não é raro ver contratos entre construtoras e clientes que considerem multas por atraso, o que significa que não administrar bem o tempo custa, e custa caro, para as construtoras.

Na busca por tornar a gestão do tempo de execução e o cumprimento de prazos mais eficientes, as construtoras adotam um sistema de planilha muito importante: o famoso cronograma de obra.

Sua estrutura, ao menos em um primeiro momento, é tão simples quanto o nome sugere. Nessa planilha é planejada cada etapa do projeto, apresentando:

  • Quem vai fazer;
  • O que vai ser feito;
  • Em quanto tempo deve ser feito;
  • Para quem será feito;
  • Com quais materiais.

É uma lista boba, mas é uma bobeira que engana construtoras despreparadas. Apesar de parecer simples, cronogramas de obras são tão ou mais complexos do que as obras que descrevem e quanto mais complicado o projeto, mais difícil é preparar, controlar e assegurar que o cronograma seja cumprido.

  1. E a sua construtora, tem dificuldades em controlar o cronograma? 
  2. As planilhas parecem não ser tão eficientes quanto poderiam? 

Esses problemas acontecem com muitos negócios, mas podem ser resolvidos.

Acompanhe aqui algumas dicas para construir um cronograma de obras mais eficiente para a sua construtora.

As 7 dicas para um cronograma de obras otimizado

A principal consequência de um cronograma de obras pouco eficiente é a grande chance de atrasos. Já comentamos que essa é uma realidade que pode causar muitos prejuízos à construtora pelas multas em contrato, mas essa é apenas a ponta do iceberg.

A realidade é que atrasos no cronograma geram muito mais problemas do que apenas consequências do descumprimento do combinado com o cliente. Atrasos significam:

  • Pagar horas ou dias extras para os trabalhadores;
  • Entregas agendadas de materiais que ficam parados e podem ser perdidos;
  • Indisponibilidade de trabalhadores para outros projetos já fechados;
  • Custo maior da locação de equipamentos.

Além disso, atrasos podem manchar a imagem que o cliente tem da construtora. Sem a confiança do cliente, fechar novos projetos se torna mais difícil e a construtora perde diferencial competitivo.

Para evitar esses e outros problemas vamos às dicas de como tornar o cronograma de obras mais eficiente.

1. Faça o passo a passo das atividades

Obras são projetos complexos e cheios de detalhes e etapas e isso não é segredo para nenhuma construtora. Considerar cada passo que deve ser dado na execução, então, é essencial para garantir que o cronograma leve em consideração cada segundo de trabalho no canteiro de obras.

Mais do que descrever o que será feito, é essencial que o cronograma mostre a ordem das etapas, quais podem ser realizadas ao mesmo tempo e quais dependem da finalização de algo para começar. 

Quanto mais detalhado o passo a passo, mais eficiente o cronograma se torna.

Confira também: existe um modelo de cronograma de obras ideal? >

2. Estabeleça prazos para atividades

Se o ponto do cronograma é definir uma data para a entrega do projeto finalizado, saber o tempo que cada atividade leva é essencial. É impossível prever quando a obra acabará se a construtora não sabe quantos dias são necessários para a preparação do espaço, alicerce ou para um simples pintura de parede.

Com um cronograma detalhado em mãos, estabeleça tempo de duração para cada atividade. 

Assim, além de ter uma visão mais clara do tempo total, fica mais fácil de acompanhar e identificar atrasos.

3. Consulte projetos antigos

Saber o passo a passo e o prazo de cada atividade pode ser uma tarefa um pouco complicada, mas temos certeza de que a obra em questão não é a primeira realizada pela construtora.

Analise os documentos e cronogramas de projetos semelhantes já realizados ao elaborar o cronograma. 

Com isso, a construtora verifica se os prazos por atividade estabelecidos foram cumpridos ou se é necessário um pouco mais de tempo.

4. Não esqueça os riscos

Análises de riscos no planejamento servem para muito mais do que apenas para medidas preventivas. 

Se na elaboração do projeto foram identificados muitos riscos, o cronograma deve considerar a possibilidade de não conseguir evitar ou corrigir rapidamente todos.

Não importa o quanto sua construtora esteja preparada, acidentes e imprevistos acontecem e agir proativamente inclui não deixar margem para impactos negativos. 

O cronograma final deve sempre considerar a possibilidade de alguns dias de atraso no momento de definir o prazo final de entrega.

5. Siga o planejamento

Não adianta nada elaborar um planejamento detalhado, analisar riscos, estabelecer medidas de segurança e descrever passo a passo de cronograma se na hora da execução esses dados são negligenciados.

Seguir o planejamento é a única forma de acompanhar a evolução da obra, identificar e corrigir rapidamente atrasos e garantir que tudo funcione com máxima eficiência.

Baixe agora mesmo o nosso infográfico GRATUITO sobre o planejamento de obras >

6. Escute os trabalhadores no canteiro

Seu engenheiro não pode passar todo o tempo no canteiro assistindo a obra ser construída. 

Além disso, nem ele nem os administradores da construtora tem a vivência e experiência de canteiro de obras que o mestre de obras e demais trabalhadores possuem.

Por isso, é essencial sempre escutar quando os trabalhadores falam sobre problemas, riscos e necessidades do momento da execução do projeto e levar tudo em consideração na elaboração e controle do cronograma.

Muitas coisas são identificadas no canteiro de obras que sentados no escritório elaborando o planejamento os engenheiros não consideram. 

São informações essenciais para o projeto em execução e para obras futuras.

7. RDO é indispensável

Já comentamos que é essencial acompanhar documentos de obras antigas para saber como estruturar o cronograma do novo projeto. O melhor jeito de fazer isso? Elaborando sempre o RDO.

O relatório diário de obras é um documento descritivo, feito ao longo (ou ao final) de cada dia de trabalho e que contém cada situação, problema e oportunidade vivenciados no canteiro de obra. É uma ótima base para analisar com cuidado os prazos de obras.

Entenda mais sobre o que é um RDO e como ele pode te ajudar no dia a dia das obras aqui! >

Tecnologia é eficiência: cuide bem de suas planilhas de cronograma de obras

Contar com ferramentas e tecnologias é essencial para reduzir chances de erros na elaboração e otimização do cronograma. 

Baixar uma planilha de cronograma de obras completa ou editável é uma grande alternativa para evitar esquecer de considerar uma informação importante.

Outra possibilidade para construtoras são os sistemas de gestão de obras, softwares focados na construção civil e que permitem elaborar cronogramas linkados com as entregas de materiais, orçamento e outros detalhes.

Quer saber mais sobre como utilizar a tecnologia para otimizar a gestão de sua construtora e elaboração dos cronogramas de obra? Visite o blog Obra Prima e veja conteúdos focados e atuais sobre o tema.