prejuízo obra

7 pecados capitais que geram prejuízos numa obra

Pecar na gestão da construtora pode resultar em perdas de capital e de confiança no mercado. Analise se o seu negócio corre perigo!

São sete os pecados capitais cometidos pelas empresas da construção civil que não contam com uma Controladoria. Em qual deles a sua construtora tem caído? Já se perguntou?

Fizemos uma lista para facilitar a sua reflexão e aumentar o controle sobre os projetos de obra. Sem as rédeas curtas em todos os processos, fica muito fácil perder dinheiro, qualidade e o rumo da empresa. Você pode inclusive errar no orçamento da construção civil e cobrar de menos.

Tudo puro descontrole!

Não é todo o negócio que consegue ter um setor dedicado à controladoria. As construtoras PMEs (Pequena e Média Empresa) têm mais dificuldade de dispor de organogramas mais complexos. Geralmente o time é composto por poucos funcionários, muito focados na atividade central do negócio.

Mas vamos ao que interessa: o momento em que você observa se a construtora comete (ou não) um dos (ou todos) 7 pecados capitais da falta de controladoria.

1 – Não sabe se vai ter lucro nos projetos de obra

O pecado número um é começar um projeto de obra sem saber o quanto vai ganhar. E pior: não recebendo aquilo que esperava. Quando a empreitada inicia, é preciso ter clareza de todas as etapas e minimizar as intempéries. Um atraso no cronograma devido a instabilidade climática é comum. Mas sofrer com ele não.

É aí que entra o controle de situações de risco!

2 – Tem contas em atraso por esquecimento

Não é fácil lembrar de tudo. Às vezes, as coisas fogem do controle e você simplesmente esquece de pagar contas. O que gera atraso,que resulta em multa e juros.

Já passou por isso?

Então, cometeu um pecado de falta de controladoria.

3 – Controle sobre as compras é improvisado

No meio do caminho havia uma planilha.
Havia uma planilha no meio do caminho.

Estamos parafraseando Carlos Drummond de Andrade para dizer que o improviso faz você tropeçar e cair em tentação. É mais barato usar planilhas, mas o preço da economia e de não investir em tecnologias adequadas se torna alto demais. Esse pecado não compensa.

4 – Desconhece as datas de recebimento

Responda rápido: quando serão recebidas as próximas entradas de capital da construtora?

Se não lembra, eis outro pecado cometido. Após a entrega do orçamento ao cliente, é feito o contrato. E este papel fica esquecido em alguma gaveta ou pasta do seu notebook. Até achar a resposta da pergunta, outras situações já podem estar fugindo de controle.

Você tem que ter essa resposta clara na sua frente todos os dias, para considerar que está próximo de reproduzir os benefícios de uma controladoria.

5 – Falha no histórico de projetos de obra

O que é uma construtora sem história? É uma empresa que não sabe falar de si e provar seu valor a futuros clientes, depende dos outros para ter um portfólio e controle sobre sua imagem. Outro pecado capital!

6 – Arquivos ficam dispersos em pastas

Onde está o projeto de reforma da loja comercial? E o de construção de uma edícula?

Deveriam estar na pasta dos seus respectivos contratos, mas nem o sistema de pesquisa do notebook está dando jeito de encontrá-los. Parece que esqueceram de padronizar o nome do arquivo também.

Diante desse pecado, não há tecnologia que faça milagre!

7 – Inexiste controle por centro de custos

Quanto você gastou na reforma da loja? E na construção da edícula? Acabou comprando material para as duas em uma remessa só. Mas como vai dividir os desembolsos de cada um dos projetos de obra?

Pois é, outra enrascada essa falta de método!
Situações fictícias que ilustram os pecados da falta de controladoria ajudam a enxergar com nitidez que a construtora precisa de rédeas curtas para ir mais longe.

Experimente Obra Prima e descubra como a tecnologia pode trazer benefícios para sua obra. Comente abaixo sobre sua experiência!

Clique aqui para experimentar!

Funcionalidades do sistema Obra Prima
Funcionalidades do sistema Obra Prima