As 7 práticas essenciais para um orçamento de obras de sucesso

Um orçamento de obras eficiente depende de conseguir os melhores preços e acompanhar o uso dos recursos. Descubra práticas que podem auxiliar a construtora.

Todos os ganhos financeiros de uma construtora vêm dos orçamentos aprovados pelos clientes que determinam o valor pago por eles por cada projeto. Por isso, todo o processo da construção civil, do planejamento à execução e entrega da obra, dependem dele.

Sabe o que acontece quando erros são cometidos no orçamento? Exatamente, prejuízos para a construtora.

Que tal aprender algumas práticas que podem fazer do seu orçamento de obras um sucesso?

Práticas de sucesso para seu orçamento

Se sua construtora já conhece o passo a passo da construção para fazer um orçamento de obras, é hora de descobrir quais práticas garantem que ele seja muito mais eficiente e competitivo. Vocês estão preparados?

1. Não ignore a importância do orçamento de obras

Boas práticas exigem reconhecimento do destaque que o orçamento tem na gestão de obras de uma construtora. É impossível conseguir os melhores resultados quando o orçamento é feito no automático, seguindo o padrão de sempre.

Um bom orçamento depende da dedicação, pesquisa e atenção aos detalhes e particularidades de cada projeto, principalmente no momento de fazer a cotação com seus fornecedores.

Não faça aproximações ou utilize dados de outras obras, faça cada orçamento como se fosse o primeiro e único da construtora. Claro, sem exageros, utilizar outros documentos como base para não esquecer nada é muito bom, só não pode ser seu foco principal.

2. Equalização é essencial

Sabe aquela pesquisa que mencionamos? Pois é, ela é essencial para um bom orçamento e deve ser bem equalizada, ou seja, deve ser pautada em comparações entre os dados de cada fornecedor, conseguindo o melhor custo-benefício para as compras.

Essa equalização é feita com base em dois níveis: o técnico e o comercial.

Na equalização técnica a comparação é feita entre os insumos. Veja qual deles possui custo mais baixo, menor qualidade e facilidade de uso. O objetivo é encontrar o bom preço com boa qualidade e fácil uso. Dessa forma o acabamento é melhor sem a necessidade de mais tempo de trabalho.

Já na equalização comercial a construtora deve olhar para o fornecedor. Verifique as opções de pagamento oferecidas, o custo final dos materiais necessários e as condições para entregas. Essa comparação é importante, você pode encontrar um fornecedor com ótimos preços unitários, mas que, por exemplo, não faz entrega, cobra taxas altas ou não tem um sistema logístico bom, o que pode te gerar outros custos.

3. Crie históricos de orçamento de obras

O histórico é a ferramenta que melhor auxilia as construtoras a manter o controle dos orçamentos. Ele cria uma relação entre todos os orçamentos já feitos pela construtora. Lembra que a gente disse que obras anteriores podem ajudar na decisão? É aqui que faz a diferença.

Saber quanto você já pagou por obras parecidas, pelos materiais e equipamentos que está pesquisando, te ajuda a identificar se os fornecedores que você pesquisou estão te cobrando valores muito altos ou muito baixos para o padrão.

Claro, é importante considerar as subidas de preço do mercado, mas mesmo um orçamento de 3 anos atrás pode te ajudar a ver se a subida de preços foi excessiva e te abrir os olhos para pesquisar um pouco mais ou negociar melhor com o fornecedor.

4. Acompanhe a variação de custos e do orçamento

Você fez a pesquisa, criou seu orçamento e apresentou para o cliente. É hora de começar a acompanhar os custos descritos. Colocar prazos de validade para fechar contrato com aquele orçamento é essencial, afinal, o fornecedor pode subir o preço.

Outra coisa importante é acompanhar os custos durante a execução da obra. A construtora deve se certificar de que o que foi estabelecido no papel é o que será seguido na obra. Além de ajudar a controlar o financeiro, permite identificar desperdícios.

5. Lembre-se do BDI em todo orçamento de obras

Já comentamos aqui no blog que é essencial calcular o BDI para garantir a margem de lucro e pagamento dos custos indiretos das obras. É hora de ressaltar que, ao contrário do que muitos pensam, ele não é um valor absoluto que pode ser calculado apenas de vez em quando.

Esse cálculo deve ser feito para cada obra. Ainda que os custos indiretos não mudem, os custos diretos são variáveis para cada projeto. Mesmo obras com os mesmos custos de materiais podem ter diferenças nas taxas e tributações.

Por isso, nada de preguiça. A cada orçamento um cálculo do BDI.

6. Não esqueça de considerar custos de logística

A gente falou da logística do fornecedor ali para cima, mas ela não é a única a ser considerada. Em obras que exigem o transporte dos materiais do estoque para o canteiro ou de um canteiro para outros têm custos diferenciados.

Considerar a logística ainda significa considerar a possibilidade de perda de materiais no transporte. Mesmo tomando todas as precauções, não é possível ignorar a possibilidade de uma telha se romper, um saco de cimento rasgar ou outros imprevistos.

Essa margem de custos logísticos deve ser considerada no orçamento.

7. Não ignore o diferencial de uma boa ferramenta de gestão de obras

Ferramentas de gestão de obras permitem oferecer maior controle da integração dos departamentos. Não é possível ter um orçamento de obras bem feito sem saber como anda o estoque, o fluxo de caixa e outros detalhes.

Apenas uma boa ferramenta de gestão oferece à equipe de planejamento e compras o controle necessário para não prejudicar ou ser prejudicado por outros departamentos da construtora.

Orçamento de obras: da planilha ao software de celular

Cuidar de cada detalhe do orçamento beneficia muito as construtoras que ainda utilizam planilhas do Excel. Seguir as práticas mencionadas ajuda a lembrar de cada detalhe que deve ser considerado para que o valor passado ao cliente seja realmente capaz de cobrir os custos do projeto.

Claro, por mais que seja possível otimizar o controle nas planilhas, ele jamais alcança a otimização que um orçamento de obras realizado em um software específico para a construção civil oferece.

Softwares de gestão de obras são pensados especificamente para atender as necessidades únicas do canteiro de obras e do dia a dia de uma construtora. Apenas eles oferecem a integração dos departamentos, acessibilidade em qualquer lugar, facilidade de uso e redução de erros que as construtoras precisam para um orçamento de obras sem erros.

Receba conteúdos exclusivos sobre Construção Civil

Fique por dentro de tudo o que acontece na Construção Civil com a melhor newsletter do setor.

Sugestão de conteúdo: