redução de custos na construção civil

Sua construtora precisa reduzir custos? Confira 8 dicas para isso se tornar uma realidade

Descubra como reduzir custos e melhorar os ganhos da construtora para garantir o sucesso das obras.

A construção civil sofre muitos impactos com as instabilidades do mercado e, por esse motivo, acaba enfrentando constantes crises em momentos difíceis.

Tendo apenas começado a se recuperar da última crise do setor e enfrentando agora os efeitos de uma pandemia mundial, que reduziu o número de projetos para grande parte das empresas, é natural se preocupar.

No entanto, não existe motivo para pânico. 

Outra grande característica da construção civil é sua capacidade de se recuperar. 

Isso porque construção e reformas sempre serão necessidades, sejam as obras públicas ou privadas.

Ainda que não seja necessário se desesperar enquanto a construtora enfrenta mais essa crise, isso não significa que tudo deve continuar caminhando como sempre caminhou. 

Para muitas empresas, o coronavírus serve como uma forma de acordar para a necessidade de investir mais na gestão de obras e da empresa.

Contar com a recuperação do mercado só é possível para construtoras que mantém os pés no chão e trabalham para aproveitar ao máximo as oportunidades que se apresentam. 

Para isso, é preciso alinhar todos os departamentos e, principalmente, aprender a reduzir custos e aumentar a lucratividade.

Se a sua construtora ainda não está direcionando os esforços para a redução de custos, é hora de começar. 

E para tornar o processo mais fácil e acessível, trazemos 8 dicas simples de como fazer essa redução. Acompanhe!

8 dicas para reduzir custos da construtora

Mais do que impactos na empresa, a pandemia causa uma redução no poder aquisitivo dos consumidores. 

O governo tem oferecido diversos incentivos para que clientes possam reaquecer o mercado de construção civil, como facilitação de financiamentos, mas as construtoras também devem fazer sua parte.

Um dos principais questionamentos nesse contexto é: como manter preços acessíveis sem perder capacidade de crescimento de mercado e lucratividade?

Bem, a resposta é mais simples do que parece, e serve para melhorar as obras e construtora mesmo fora de crises: redução de custos e otimização da gestão. 

Veja aqui algumas dicas de como alcançar esses objetivos.

1. Desenvolva planejamento eficiente para o projeto

Planejamento do projeto é o primeiro passo para qualquer otimização em uma construtora. A execução só pode estar livre de erros, acidentes e materiais se no planejamento os riscos são identificados e prevenidos.

Prever cenários variados é a única forma de garantir que os custos do projeto se mantenham dentro do orçamento, prazos sejam cumpridos e todo o trabalho seja realizado com máxima eficiência. Isso acontece porque é nessa etapa que todas as necessidades são identificadas.

Assim, a construtora passa a ser capaz de buscar formas aplicáveis a cada necessidade do projeto de reduzir custos e garantir maior alinhamento e menos desperdícios. 

Identifica-se, ainda, quais são as ferramentas que devem ser oferecidas às equipes para que elas possam realizar as atividades com mais segurança e motivação.

Faça o download do nosso infográfico sobre Planejamento de Obras aqui >

2. Use as novas tecnologias

Existem diversas ferramentas para a área da construção civil e, com os constantes avanços das tecnologias, encontrar a que melhor atende às necessidades da construtora não é mais um grande desafio.

Ainda que exista um custo na adoção de tecnologias, uma vez que é necessário comprar softwares e treinar equipes para utilizá-las, no médio e longo prazo elas auxiliam muito na redução de custos, eliminando desperdícios e otimizando a gestão.

Para construtoras que querem se manter dinâmicas e em crescimento, novas tecnologias são essenciais. 

Entre as principais possibilidades para construtoras que desejam reduzir custos estão:

Softwares de projeto virtual 3D

Ferramentas como AutoCAD permitem criar todo o projeto no computador, criando um projeto visualmente mais claro e atrativo para ser apresentado para o cliente.

Softwares de gestão de obra

Capaz de organizar e automatizar a criação de cronogramas, controle de estoque, orçamentos e comunicação com fornecedores e clientes, torna as decisões mais rápidas e o alinhamento das atividades mais eficiente.

BIM (Building Information Model)

Assim como o AutoCAD, permite a criação de desenhos técnicos mais detalhados e claros para otimizar o processo de gestão de obras e compras. 

Leia mais sobre o BIM aqui >

Com o BIM, simular construções fase por fase, passando por cada uma das etapas antes de começar a construção, garantindo que a verificação de riscos e insumos necessários seja mais clara e auxiliando na otimização e redução de custos.

Computação em nuvem

Disponibiliza arquivos em ambiente digital, aumentando a acessibilidade. 

Torna as construtoras independentes de notebooks e escritórios, permitindo salvar, acessar e alterar documentos e planilhas mesmo no canteiro de obra.

3. Organize um orçamento pensando em todos os gastos

Garantir que os preços e custos de materiais e serviços sejam contabilizados de maneira correta é essencial para reduzir custos. Se a corretora erra na cotação dos valores e oferece um orçamento menor do que o custo final da obra, o dinheiro que falta sai da margem de lucro.

Quanto mais detalhado e quanto mais pesquisa no momento de elaborar o orçamento, menor as chances de erro e de desperdícios e maior será a margem de lucro do projeto.

4. Contrate profissionais qualificados

A qualidade do serviço oferecido, o melhor aproveitamento dos materiais e a redução de desperdícios depende de ter no canteiro de obra e dentro da construtora, profissionais qualificados.

Qualificação é uma das formas de garantir que a execução das atividades com a qualidade esperada. 

Profissionais capacitados e treinados são, ainda, capazes de oferecer uma nova percepção de como as tarefas são executadas e ajudar a melhorar cada vez mais os processos.

Claro, existem muitos bons trabalhadores que não são qualificados. Não é necessário dispensar esses empregados, mas investir em treinamentos pode ser uma boa forma de melhorar os processos.

5. Utilize materiais adequados

Reduzir custos não pode nunca ser a primeira coisa pensada no momento de escolher materiais. Ainda que reduzir gastos seja o objetivo, abrir mão da qualidade nunca é a solução.

A economia na compra de materiais acontece quando a construtora seleciona os materiais mais adequados, busca negociar da melhor maneira com fornecedores e pensa em custo benefício.

Materiais inadequados ou de baixa qualidade acabam por causar mais gastos do que economia. 

Materiais baratos com baixa qualidade acabam quebrando facilmente ou não oferecendo o acabamento desejado, criando a necessidade de retrabalhos, o que significa comprar mais materiais.

6. Pesquise o mercado

Criar novos projetos, concorrer a licitações de obras públicas, comprar materiais, contratar empregados. 

Essas e diversas outras atividades da construtora dependem de um bom conhecimento do mercado para resultarem em sucesso.

No entanto, para aproveitar as melhores oportunidades e eliminar custos desnecessários, é essencial conhecer o mercado. 

Apenas com uma boa pesquisa é possível conhecer as novas tendências e tecnologias que podem ajudar a construtora a crescer.

Use a internet, o feedback de clientes, as sugestões de funcionários e veja o que seus concorrentes têm feito. 

Redes sociais como Facebook e Instagram podem ser boas ferramentas para se manter atualizados, além de congressos e conferências da área de construção civil.

7. Invista em sustentabilidade

Reduzir custos na construção civil exige eliminar desperdícios. 

Quanto menos resíduos produzidos, quanto mais cuidado com o meio ambiente, melhor será o aproveitamento dos recursos da obra.

Quando se considera a necessidade de ser sustentável e, por exemplo, reduzir o consumo de água em uma obra, mais do que beneficiar o meio ambiente, a construtora consegue economizar. 

Afinal, tudo o que é consumido no processo de construção deve ser pago.

Sustentabilidade na construção civil, no entanto, não significa só economizar água e energia, pode ser feita por meio de diversas decisões que contribuem com a melhoria do resultado final e com um menor gasto de dinheiro.

O exemplo da água, que vale também para o consumo de energia, é um dos exemplos mais óbvios, mas não é o único. 

A gestão de resíduos é outro elemento que garante menor impacto no meio ambiente e auxilia na redução de custos.  Entulhos e resíduos que não são tratados de maneira correta podem gerar multas, além dos diversos benefícios no imposto de renda e na conquista de clientes que as construções sustentáveis conquistam.

Reaproveitamento de materiais e uso de materiais reciclados é outra forma de buscar a sustentabilidade. 

A possibilidade de reuso faz com que esses materiais tenham um custo mais baixo do que outros produtos e, se forem utilizados na construção de estruturas de apoio, como vestiários no canteiro de obra, podem ser levados para outras obras, reduzindo custos com locação.

8. Otimize a gestão de compra e estoque

É nessa etapa que a maior parte dos desperdícios ocorrem em uma obra. 

Compras mal realizadas e que não consideram o espaço e materiais já existentes no estoque são um desperdício de dinheiro e insumos.

Cada material e equipamento tem suas exigências no que diz respeito à armazenamento e transporte. 

Quando as compras para uma obra não consideram esses elementos, a possibilidade de danos à integridade dos insumos é grande, gerando desperdício e criando a necessidade de realizar uma nova compra, não prevista no orçamento.

Manter o controle da entrada e saída de materiais no estoque a considerar esse fluxo no momento de comprar novos insumos é essencial para uma estratégia que busca reduzir custos na construção civil.

Investir para reduzir custos na construção civil

A ideia de investir para reduzir custos pode ser muito estranha. 

Como gastar dinheiro pode ser uma forma de economizar dinheiro? 

Funciona, principalmente quando falamos em tecnologia na construção civil.

Existem ferramentas para automação de orçamento, controle de cronograma, para criação de modelos virtuais da obra, controle de estoque, gestão de compra e qualquer outra etapa de uma obra ou do sistema interno da construtora. 

Outra opção são as ferramentas de gestão de obras, que reúnem todas essas funcionalidades em um único lugar.

Todos esses softwares e ferramentas possuem um custo inicial, uma mensalidade a ser paga para o uso de todas as funcionalidades, mas não são um gasto e sim um investimento que traz retorno.

Adotar essas tecnologias, todos os processos da construção civil podem ser otimizados, organizados e controlados. 

A comunicação com as equipes, fornecedores e clientes se torna melhor, os riscos de erros, atrasos e acidentes são reduzidos e a margem de lucro pode ser aumentada.

Quando se pensa nos possíveis problemas que são evitados e nos custos que enfrentar esses problemas podem causar, o pequeno custo das ferramentas acaba não pesando no orçamento.

Otimizar processos sempre aumenta ganhos e reduz desperdícios e é por isso que investimentos em gestão são tão essenciais para a construção civil.

Quer conhecer novas ferramentas e formas de melhorar a gestão de obra e estar sempre por dentro das novidades do mercado de construção civil? Acompanhe os conteúdos exclusivos que o blog Obra Prima traz para sua construtora.