A indústria 4.0 aplicada à construção civil

A indústria 4.0 aplicada à construção civil

A construção civil é cada vez mais beneficiada pela tecnologia e a interação entre mundo real e virtual que a Indústria 4.0 propõe. Entenda.

A invasão da tecnologia na construção civil é um tema já bastante debatido. São muitas as vantagens e benefícios para diversas frentes no mercado, sempre com foco na otimização de processos e maior qualidade de materiais, serviços e resultados. 

Cada vez mais o dia a dia se integra com a tecnologia, é a era da indústria 4.0.

Essa nova era ainda é um conceito muito confuso para algumas empresas e é preciso entender com calma do que se trata para que as aplicações práticas se tornem mais claras.

É hora de entender de verdade do que se trata a indústria 4.0, como ela interage com a construção civil e como as construtoras podem se beneficiar de sua aplicação.

O que é a indústria 4.0?

O mundo já passou por 3 revoluções industriais e a indústria 4.0 marca a quarta.

Na primeira, os meios de produção foram mecanizados e cresceram com a aplicação da energia a vapor, na segunda iniciaram-se os processos de produção em massa com uso de energia elétrica, na terceira, a automação da produção abriu novos horizontes.

O que vemos na chamada “4ª Revolução Industrial” são sistemas cyber-físicos monitorando processos físicos, ou seja, o uso de tecnologias para o controle de processos e aumento da produtividade.

Ainda que muitos não se deem conta, vemos aplicações práticas da indústria 4.0 todos os dias em diversos setores. 

Aplicativos que substituem a mão de obra humana no controle de semáforos, utilizando inteligência artificial para analisar o tráfego e alterar o tempo de acordo com as necessidades dos usuários das vias são um bom exemplo.

Essa revolução utiliza 3 componentes para alcançar seus resultados:

  • CSP (Cyber physical Systems) – sistemas que conectam as infraestruturas computadorizadas, comunicação automatizada e operações físicas.
  • Internet das Coisas (Internet of Things ou IoT) – integração criada entre objetos, máquinas, sistemas computadorizados e plataformas e aplicativos tecnológicos.
  • Fábricas Inteligentes (Smart Factories) – aplicação do CSP na produção para ampliar automação e aumentar produtividade, eficiência e reduzir custos, tempo gasto e uso de recursos.

E a indústria 4.0 na construção civil?

Como todo setor que depende de melhor uso dos recursos, cumprimento de prazos e máxima produtividade, a construção civil também tem abraçado as ferramentas e benefícios da Indústria 4.0.

A relação entre o setor e a nova realidade trazida por essa revolução é íntima. As duas trabalham cada vez mais juntas para oferecer a construtoras e outras empresas de construção vantagens de mercado como:

  • Otimização de processos;
  • Redução de erros e falhas;
  • Aumento da produtividade;
  • Destaque em competitividade;
  • Eliminação de desperdícios;
  • Redução de custos.

Claro, pensar em tecnologias tão revolucionárias cria muitas inseguranças em administradores e donos de construtoras. 

Muitos acreditam que os custos de sua implementação são muito altos, que vai gerar alto desemprego por substituir a mão de obra ou exigirá qualificação em computação para poder utilizar as ferramentas, além de outras preocupações.

Na verdade, o uso das ferramentas e aplicativos oferecidos pela Indústria 4.0 é muito mais simples. 

De fato, muitas tecnologias dessa nova era já são aplicadas com grandes resultados e poucos problemas na construção civil.

O que acontece é que muitas construtoras não sabem, exatamente, quais são essas tecnologias e as possibilidades que elas criam. O uso de drones, de aplicativos mobile e análise de dados são os exemplos mais simples e conhecidos.

Que tal conhecer mais a fundo as possibilidades que existem para as construtoras?

indústria 4.0 na construção civil

Nova revolução industrial: as possibilidades para a construção civil

Existem muitas facilidades, ferramentas e aplicações para a Indústria 4.0 na construção civil. Elas acompanham as obras desde o início do planejamento até a entrega e pós-venda com os clientes.

É possível utilizar a tecnologia como aliada no:

  • atendimento;
  • elaboração de orçamentos;
  • comunicação e otimização do desenvolvimento do projeto;
  • e da Saúde e Segurança do Trabalho. 

Basta escolher a tecnologia certa para as necessidades de sua construtora.

Algumas das possibilidades possuem sim um alto investimento inicial na compra de equipamentos, treinamento para uso e adaptação da construtora à nova forma de trabalhar. Ainda assim, mesmo no caso das tecnologias mais caras, o retorno conseguido com redução de desperdícios e custos faz com que esse investimento não deva ser evitado.

Veja aqui algumas das possibilidades que sua construtora pode já estar utilizando sem saber ou que deveria começar a considerar:

Computação em Nuvem

Utilizar a computação em nuvem já não é uma novidade. Esse sistema tecnológico de armazenamento e compartilhamento de dados online é aplicado há muito tempo em diversos setores.

Essa tecnologia pode facilitar muito os processos da construção civil. 

É possível disponibilizar documentos e planilhas para serem modificadas e consultadas a qualquer momento, exigindo apenas o acesso à internet.

Descubra como a computação em nuvem pode ajudar a sua construtora! >

Para engenheiros que precisam estar informando, constantemente, a construção dos acontecimentos do canteiro de obras, a computação em nuvem é um grande diferencial para melhorar a produtividade e a tomada de decisões estratégicas.

Software BIM

BIM, ou Building Information Model, é um software muito útil para processos da construção civil e um dos grandes destaques da Indústria 4.0.

Com esse software a visualização do projeto e de sua evolução passo a passo é muito mais clara e simples. Ele utiliza imagens 3D para auxiliar a construtora a entender a obra, tendo várias aplicações.

Entenda mais sobre o BIM aqui! >

Com o uso da projeção 3D oferecida pelo BIM no planejamento, por exemplo, é muito mais fácil identificar falhas no projeto ou riscos na hora da execução. 

Para a estratégia da construtora e melhoria dos resultados é essencial ter essas informações em mão, já que é a partir delas que medidas preventivas serão tomadas.

Ele pode ser utilizado, também, no gerenciamento da obra, permitindo ver mais claramente se o esperado e o realizado no cronograma estão andando juntos.

Sistema de gestão de obras

Um sistema ou software de gestão de obras é um dos maiores diferenciais para construtoras que desejam manter o controle total das obras e dos processos internos. 

Inicialmente, tomavam como base os ERPs (Enterprise Resource Planning ou Planejamento de Recursos de Empresas). 

Atualmente nem sempre se precisa de um ERP para construtoras, muitos software de gestão simplificam os sistemas e tornam tudo ainda mais eficiente.

Com fácil implementação, ainda que exijam um tempo de adaptação e custos que podem ser adaptados às necessidades e possibilidades das construtoras, softwares de gestão são uma das tendências tecnológicas mais básicas para destacar-se no mercado.

Um bom software oferece:

  • Gestão de estoque;
  • Gestão de compras;
  • Gestão financeira;
  • Relatório Diário de Obras;
  • Controle de cronograma;
  • Controle de orçamento;
  • Comunicação com clientes;
  • Contato direto com fornecedores.

Essas e outras facilidades fazem dos softwares de gestão de obras um grande diferencial entre as opções da Indústria 4.0 na construção civil.

Conheça a fundo como funciona um software de gestão de obras >

Soluções de impressão 3D

Se a visualização 3D do BIM já faz uma grande diferença nos processos da construção civil, imagine o que não se pode conseguir com a impressão 3D. Essa é uma tecnologia que pode transformar profundamente o canteiro de obras.

Imagine precisar de uma peça ou estrutura e não conseguir encontrar para compra dentro do prazo necessário e poder imprimir, exatamente nas medidas que necessita, essa peça.

Parece fora da realidade, mas é isso que essa tecnologia permite. A impressão 3D ainda traz outras vantagens, além da economia de tempo. 

Com ela, construtoras que desejam focar esforços na sustentabilidade tem o bônus de escolher materiais mais leves e resistentes em um sistema de produção que consome menos recursos naturais.

Além disso, por serem peças mais leves, facilitam muito o transporte, tornando a obra mais produtiva e reduzindo custos com transporte.

Dispositivos “vestíveis”

Nome estranho, mas que diz exatamente o que a tecnologia é. São dispositivos que podem ser vestidos. Estranhando a ideia? Calma, é ainda mais simples do que parece.

A proposta da Indústria 4.0 aqui é oferecer sensores colocados em roupas e equipamentos que os trabalhadores vão utilizar no canteiro de obras. 

É um grande diferencial para a Saúde e Segurança do Trabalho.

Esses dispositivos coletam dados e monitoram o dia a dia dos trabalhadores. Com isso, identificar riscos não previstos no planejamento se torna mais fácil e eles podem ser evitados.

Ainda que a meta principal seja eliminar completamente a possibilidade, outro ponto que deve ser mencionado é a resposta rápida que eles oferecem caso um acidente aconteça. 

Lembre-se: quanto mais rápido um trabalhador acidentado recebe atendimento, menores os riscos de sequelas que ele corre.

Drones

Drones podem ter as mais variadas aplicações na construção civil. 

Uma das mais conhecidas é a possibilidade de filmar e realizar medições de terrenos para garantir que o projeto seja desenvolvido com menos falhas.

Ainda que essa seja a aplicação mais falada no setor, existem outras e elas vão de encontro, diretamente, à segurança dos trabalhadores. Todos sabem os riscos envolvidos no transporte de materiais e na verificação de construções muito altas.

Pois bem, que tal em lugar de colocar os trabalhadores em risco utilizar os drones nessas tarefas. Mais do que proteger seus colaboradores, os riscos de danos aos materiais é grande e a economia de tempo também.

Módulos pré-fabricados

Essa é a tecnologia que se beneficia por padronizar os módulos utilizados na construção. 

A praticidade de construir encaixando peças como se fossem legos é muito grande. Com isso, a construtora agiliza muito a execução das obras e reduz os riscos de falhas e retrabalhos.

Outra vantagem desses módulos são as maiores possibilidades de personalização do projeto que permitem. 

A sua construtora pode começar a trabalhar com obras com maior destaque arquitetônico e ganhar muitos clientes com projetos com design arrojado e inovador.

Realidade aumentada

Assim como o BIM, a Realidade Aumentada é uma tecnologia capaz de melhorar muito a visibilidade do projeto. No entanto, antes de falar de seus benefícios é essencial fazer uma diferenciação: realidade aumentada não é realidade virtual

A realidade virtual é a criação de um “mundo digital”, ou seja, um ambiente construído e independente do mundo real. O que a realidade aumentada faz é o oposto, é trazer elementos digitais para o mundo real e criar uma interação entre eles.

Imagine parar no canteiro de obra e, com a realidade aumentada, visualizar a construção pronta ao mesmo tempo que vê o espaço real em que será executado o projeto. 

Acho que seria muito mais fácil visualizar se as medições estão erradas ou se o terreno terá que ser melhor aplainado, não?

É um exemplo que parece bobo e simplista, mas a ideia é mais ou menos essa: unir projetos visuais e a realidade de um canteiro.

Esse tipo de visualização, ao longo da execução, pode garantir a redução de erros, melhorar o uso do tempo e otimizar a precisão e eficiência. Com isso, a construtora consegue, também, reduzir custos e gastos de materiais.

É uma forma de substituir os vários desenhos e plantas, colocando tudo em uma única plataforma, permitindo ver camada a camada os materiais, instalações e etapas da construção.

Existem dois formatos possíveis: a realidade aumentada pode ser usada para a visualização de plantas 3D ou hologramas de maquetes virtuais. 

O custo é um pouco alto, mas com certeza o retorno vale a pena.

É hora de abraçar as mudanças que a Indústria 4.0 traz para a construção

Toda construtora que deseja alcançar maior crescimento e competitividade nos próximos anos deve começar a pensar em investir em produtividade e redução de riscos e custos.

Ainda que todo cuidado seja tomado no planejamento e acompanhamento da execução das obras, nem sempre tudo que deve ser pensado é visível e óbvio. É nesse momento que a tecnologia se torna um investimento diferencial.

Muitas vezes as máquinas vão eliminar riscos e apresentar possibilidades que o hábito faz muitas construtoras não enxergarem. Aproveite as diversas possibilidades e insira sua empresa na era da Indústria 4.0.

Empresas que não pensam em melhorar ao máximo seus processos e resultados vão ficar para trás. Adaptar-se e aproveitar as vantagens que o mundo moderno oferece pode ser o que falta para se destacar no mercado.