8 passos para ter controle financeiro de obras

Checklist: 8 passos para ter controle financeiro de obras

Que o controle financeiro de obras é fundamental você já sabe. Mas em algum momento aplicou um checklist para avaliar se seu negócio está seguro?

Como ganhar dinheiro na construção civil? Você responde a essa pergunta com exemplos todos os dias. Mas, muitas vezes, percebe que pode ter uma gestão mais eficiente, que vá além da planilha de controle de gastos de obra.

Em alguns momentos, a sua construtora se aproxima tanto do vermelho que é difícil não ficar com ansiedade à flor da pele. Por isso, todos os dias, o controle financeiro é uma grande questão. Afinal de contas, o fluxo de caixa acaba sendo mais uma suposição do que um reflexo da realidade financeira da construtora.

A essa altura da sua jornada profissional, você sabe que para crescer é preciso manter o controle financeiro de obras. Afinal de contas, não há remédio onde não existe prevenção. E, se você deixa para ter certeza do lucro ao final do projeto, está correndo altos riscos.

Faz parte de como ganhar dinheiro com construção civil abandonar a planilha de controle de obra. Essa é a dor do crescimento: sair da zona de conforto em busca de soluções para o desafio de gerir vários projetos de construção.

Foi pensando em ajudar você a avaliar melhor esse cenário de controle de obra que repercute em benefício às finanças que elaboramos este checklist.

São 8 cuidados que podem não só garantir como ganhar dinheiro na construção civil, mas também ter mais controle financeiro de obra!

1 – Maior precisão sobre a margem de lucro

Saber o quanto vai lucrar antes do projeto terminar é o indício mínimo de que sua obra tenha controle financeiro. Então, o primeiro item ou cuidado deste checklist tem que ser este.

Como você faz hoje o acompanhamento do fluxo de caixa? Isso faz parte do seu dia a dia ou é algo que o contador calcula para você de vez em quando? Essa é mais uma planilha de controle de obra que você mantém na construtora?

2 – Checar a saúde financeira do negócio em tempo real

É por isso que você precisa visualizar o fluxo de caixa em tempo real. Mas, para quem depende das planilhas, esse é um baita desafio. Se você não consegue visualizar as entradas e despesas de forma automática e fácil, fica ainda mais difícil manter o controle financeiro de obra e fazer a construtora crescer.

3 – Controle o realizado e o planejado

Qual é o maior custo da sua obra hoje? Não sabe? Se tiver uma boa gestão do previsto X realizado, terá uma resposta mais consistente a essa pergunta a cada etapa da obra, podendo mudar alguns padrões de atuação antes de perder o controle financeiro.

Essa medida poderá resultar em ações efetivas de controle financeiro de obra. Se, por exemplo, 80% do orçamento é investido em ferro, como fazer para melhorar seu custo? Comprar o material de um fabricante pode soar melhor. Afinal, o primeiro passo para reduzir despesas não está nos 5% de custos da obra.

É preciso buscar reduzir os gastos mais altos para conseguir maior controle financeiro.

4 – Utilize o gráfico de Pareto para reduzir custos

O raciocínio usado no item anterior tem base no gráfico de Pareto ou na Curva ABC, que trazem raciocínios semelhantes na compreensão do orçamento da construção civil. A teoria mostra aqui que há uma minoria de insumos que consomem 80% do orçamento. Estes são a base da obra.

Mas essa proporção pode mudar conforme a obra. Para métodos construtivos a seco, guias e montantes podem resultar em maiores gastos. Já na construção com base em alvenaria tradicional, os maiores gastos podem estar na compra de cimento, ferro, tijolos e madeira para a cobertura. Se for apenas uma reforma, o cenário também muda.

Mas essas lógicas de análise, quando usadas na construtora, trazem a possibilidade de avaliar pontos de maior consumo, para investir em projetos de redução.

5 – Saiba quais são os desvios de custos

Se você aplicar as lógicas mencionadas anteriormente, conseguirá analisar e identificar os desvios de custos mais frequentes. Mas o segredo é fazer esse controle a todo momento, notando incongruências em tempo hábil para tomada de uma decisão correta.

6 – Visualização microdetalhada dos orçamentos

Outra forma de reduzir custos é buscar a visualização de detalhes do orçamento que podem passar batidos. Isso possibilita a redução de custos. Quanto mais detalhado o orçamento, mais domínio você tem das finanças. Muitas vezes, o dinheiro vai embora nas miudezas da obra, no desperdício de insumos e na falta de um acompanhamento mais próximo das previsões e da realização efetiva da obra.

7 – Apropriação de custos com mão de obra mais precisa

Digamos que você apropriou 10 mil reais para mão de obra em um período de três meses. Mas houve atraso na entrega da etapa de terraplanagem e, ao final do prazo, foi preciso desembolsar mais com a equipe e replanejar o orçamento. Com certeza, por causa de uma etapa mal planejada, você levou prejuízo.

Estourar o prazo de qualquer fase da obra é um sinal de que o controle financeiro não está indo bem. Por isso, a apropriação de custos precisa ser conciliada ao cronograma físico financeiro de obras.

8 – Maior produtividade por diminuir tempo dedicado a cotações

Já falamos algumas vezes no blog Obra Prima que a produtividade gera redução de custos, o que só beneficia o seu controle financeiro de obra. Quando você conta com ferramentas adequadas para minimizar o tempo com cotações de insumos, por exemplo, você perde menos tempo comprando e mais tempo fazendo a obra rodar.

Um mapa de cotações bem feito leva tempo, principalmente quando a compra envolve muitos itens com valores de mercado variados. Descobrir a combinação que gera menos custos é trabalhoso. Mas é pior quando você tem que comunicar aos fornecedores quais produtos vai comprar.
E aí, quais dos itens deste checklist de controle financeiro de obra você já cumpre na construtora? Ainda quer descobrir outros truques de como ganhar dinheiro na construção civil? Fique ligado no blog Obra Prima!