construção civil e a economia

Construção Civil e a Economia: o que esperar de 2021?

Entenda como a construção civil e a Economia do Brasil tem se estabilizado e mantido as perspectivas positivas para o ano de 2021.

Desde 2019, mesmo com os desafios da pandemia em 2020, as previsões apontavam para o crescimento da construção civil em 2021. Com os problemas que o país tem enfrentado, alta nos custos e aumento do desemprego no último ano, no entanto, muitas pessoas não entendem porque as previsões têm se mostrado tão otimistas.

A construção civil e a economia possuem uma relação muito íntima. 

Mudanças na economia, sua desvalorização, a queda do PIB e inflação causam impactos na construção civil. Os preços de produtos tendem a aumentar e a busca de clientes por serviços e produtos é menor.

Ainda assim, o mercado da construção tem conseguido manter seu crescimento e apresenta resultados promissores desde os primeiros meses do ano.

Acompanhe aqui os dados e entenda melhor a relação entre construção civil e economia.

Construção Civil e a Economia: relações que criam crescimento

Já comentamos muito aqui no blog sobre como a construção civil tem se mostrado otimista para o ano de 2021 mesmo no pós-pandemia. Ainda assim, é sempre bom mostrar como o setor já mostra a verdade das previsões feitas no ano passado.

Desde o segundo semestre de 2020 o mercado apresenta crescimento e recuperação. Pode ser mais discreta do que se previa antes da pandemia, mas a volta por cima nas últimas crises está acontecendo.

Durante a pandemia, ainda que a economia apresentasse problemas, construtoras encontraram novos caminhos para manter-se firmes. Duas frentes foram muito importantes para que os impactos econômicos não causasse tantos danos: alguns auxílios governamentais e preparação estratégica das empresas.

Antes de falar nessas frentes, que tal entender um pouco melhor os problemas enfrentados por causa da situação econômica do país?

Abordando o tema de modo mais simples e fácil de entender, o que acontece é que quando a economia começa a enfrentar problemas, seja por instabilidade do mercado externo ou por problemas internos, é natural que o poder de compra da população seja reduzido e que o preço de alguns produtos comece a subir.

Essa foi exatamente a realidade vivida durante a pandemia. Com o isolamento e lockdown, muitas empresas e negócios tiveram que demitir funcionários e o aumento no desemprego impactou o poder de compra da população.

Ao mesmo tempo, as instabilidades de mercado fizeram o preço de materiais de construção aumentar, tornando os custos de construção mais altos.

A agência Brasil fez um levantamento dos estudos dos últimos meses que relacionam construção civil e a economia, oferecendo uma perspectiva desse aumento de preços e colocando os custos com uma alta de 10,61%, como relatado pelo Sistema Nacional de Pesquisa de Custo e Índices da Construção Civil (Sinepi).

Como forma de balancear a situação, o governo trouxe alguns programas de incentivo para financiamentos imobiliários, ajudando a população e as construtoras a movimentarem o setor. Além disso, a queda nas taxas de juros permitiu oferecer preços mais competitivos, mesmo com insumos mais caros.

O isolamento também foi de grande ajuda, criando nas pessoas a necessidade de melhorar seu lar para criar ambientes de home office e de lazer e descanso mais confortáveis.

Dessa forma, as construtoras que já se preparavam para aproveitar oportunidades tinham em mãos sistemas de gestão de obras mais eficientes. Com eles, puderam reduzir custos e desperdícios e melhorar a competitividade de seus negócios, conquistando clientes mesmo durante a pandemia.

Geração de emprego auxilia o crescimento da construção civil

Mesmo enfrentando problemas com falta ou preços altos de insumos, a construção já dá sinais dos bons resultados e oportunidades para 2021. 

Um dos pontos que mais tem se destacado é a grande geração de emprego que acontece mesmo com os impactos na construção civil. Só em 2020 houve um aumento de 37% no número de vagas na construção.

É claro, devemos considerar que o índice de desemprego no Brasil hoje é alto, mas o setor da construção civil têm tentado se manter estável diante dessa crise.

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) afirma que a capacidade produtiva do setor vem aumentando e contribuindo para que novos empregos sejam gerados. A capacidade operacional do setor fechou o ano de 2020 com mais de 63% de utilização, maior percentual desde 2014.

Claro, o aumento do número de empregos na construção civil e a economia vendo uma possível recuperação trazem desafios. As construtoras começam a ficar mais exigentes e a mão de obra contratada é a mais qualificada.

Em matéria do jornal O Globo, profissionais da área oferecem uma boa perspectiva sobre as novas exigências que o mercado deve apresentar a partir deste ano, destacando a grande geração de empregos como impacto na construção civil para 2021.

Com a necessidade de reduzir custos operacionais, riscos de falhas e erros já não são uma opção. Por isso, o investimento em treinamentos e formação deve ser prioridade para os trabalhadores do setor. Conhecimentos sobre as tecnologias utilizadas na construção, principalmente, se tornam diferencial.

O crescimento esperado para 2021

Esse breve resumo da atual situação que vive a construção civil e a economia faz a gente perceber como o otimismo para o ano de 2021 é justificado. A alta dos preços de insumos, ainda que preocupante, pode ser contornada com estratégia e controle na gestão de obras e muitas portas prometem se abrir.

Os incentivos para o mercado habitacional oferecem novas possibilidades para construtoras expandirem seus negócios, seja com licitações para programas de casas populares, seja com novos empreendimentos ou fazendo reformas.

As boas notícias alcançam também os profissionais da área, que já veem mais empregos sendo gerados e novas possibilidades de crescimento.

Para aproveitar ao máximo as possibilidades de recuperação e dar ainda mais força para a melhora da economia no Brasil, as construtoras não devem deixar de lado a tecnologia.

Otimizar cada vez mais os processos já se mostrou ser diferencial para controlar custos e vai trazer ainda mais resultados e oportunidades no decorrer de 2021.

Continue acompanhando o nosso blog para mais informações sobre o setor da construção civil.