O CREA na construção civil

CREA: o que é, como funciona e por que ele é tão importante para a Construção Civil?

Entenda a importância do CREA e descubra como ter a certeza de contratar os melhores profissionais e ter os melhores resultados na Construção Civil.

A complexidade da construção civil lança grande responsabilidade sobre os profissionais de engenharia envolvidos nas obras. A necessidade de manter a qualidade, controle e segurança dos projetos faz com que seja essencial estar constantemente fiscalizando os trabalhos realizados.

Mais do que a fiscalização das atividades realizadas, surge um sistema de controle dos profissionais responsáveis. Com isso, garante-se que os profissionais registrados no mercado estejam sempre atentos às necessidades que garantam o bem-estar social dos usuários dos empreendimentos.

É para essa fiscalização que existe o CREA. Acompanhe o texto e entenda como ele funciona.

CREA: o que é e para que serve?

CREA é a sigla para Conselho Regional de Engenharia e Agronomia, existindo um por estado do país. Essas entidades existem para dar orientações precisas e fiscalizar os profissionais de áreas tecnológicas.

Trabalhando sempre em parceria com o Confea, o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia, é o principal responsável por impedir que atividade sejam praticadas de maneira ilegal. A regularização dos serviços técnicos é uma forma de manter o controle, garantindo que os setores fiscalizados gerem riqueza e que a atuação seja sempre voltada para a qualidade de vida e bem-estar social.

O CREA regulariza as áreas da:

  • Engenharia;
  • Agronomia;
  • Geografia;
  • Geologia;
  • Meteorologia.

É importante destacar que são fiscalizados profissionais graduados também, não só os de formação técnica ou tecnóloga.

Além de fiscalizar os profissionais, o CREA fiscaliza, também, as obras da construção civil, verificando se existe um profissional de engenharia responsável e se ele tem as autorizações e registros para exercer a profissão.

Como funciona?

Muitas pessoas acreditam que após conseguir o diploma universitário o estudante de engenharia já está apto a atuar profissionalmente. No entanto, não é bem assim que funciona. Assim como ocorre em diversas outras áreas, como a medicina, é necessário ter um registro no conselho profissional para atuar.

Para a engenharia, o registro é feito no CREA, como exige a Lei 5194/66, e só após esse registro o engenheiro pode exercer a profissão legalmente, assinando projetos e fiscalizando obras.

Conseguir o registro exige que o profissional recém formado faça um cadastro para conseguir a concessão das atribuições profissionais que pode desempenhar. A análise realizada para essa concessão é detalhada, avaliando a instituição de ensino onde o diploma foi emitido, os conteúdos do curso, ementas e outros detalhes.

Para as obras, o funcionamento acontece no momento do cadastro do projeto. Sempre que uma nova obra busca a autorização dos órgãos públicos para serem realizadas o CREA verifica se existe a assinatura de um engenheiro responsável e se ele possui registro para exercer a profissão.

Para que serve a fiscalização do CREA?

A fiscalização pode oferecer diversos benefícios para construtoras, obras e profissionais da área de construção civil. Entenda os resultados que ela pode ter nas obras:

Coleta de dados e padronização profissional

Um dos principais benefícios da fiscalização é o fato de que as irregularidades são eliminadas e que dados concretos sobre obras e crescimento do mercado de construção civil se tornam mais acessíveis.

São esses dados que oferecem bases para os padrões de vistoria de processos e garantias de qualidade dos resultados.

Valorização da profissão

Garantir que os profissionais da área atuem da maneira ética é um dos principais resultados alcançados. O código de ética das áreas fiscalizadas é elaborado pelo CREA e, por isso, oferece bases mais concretas para orientar profissionais e contratantes sobre as posturas no desempenho das atividades.

Com os registros, os profissionais são mais valorizados e reconhecidos no mercado, o que garante melhores oportunidades.

Defesa dos profissionais

Ainda que recorrer aos sindicatos na defesa de direitos profissionais seja o senso comum, a fiscalização dos conselhos regionais é de extrema importância. Existem normas e legislações a serem seguidas pelos profissionais, o que significa que existe uma base para o que se espera dos contratantes dos seus serviços e para os direitos que devem ser garantidos a eles.

Auxílio na formação

Mais do que uma entidade que fiscaliza profissionais, o CREA oferece espaço de crescimento. As entidades oferecem palestras, cursos, congressos e muitos outros eventos que garantem um contato com as mais recentes inovações do setor e permitem que os profissionais se desenvolvam e atualizem constantemente.

CREA e as construtoras

Ainda que o foco principal do CREA sejam os profissionais, as construtoras devem estar sempre atentas ao que o conselho da região onde atuam exigem. Uma vez que é exigido que os profissionais tenham o registro e cumpram a legislação, a construtora que emprega o engenheiro também deve acompanhar o que é exigido.

O descumprimento de qualquer legislação na área da construção civil pode trazer diversos prejuízos. Uma obra assinada por um engenheiro sem registro será, com certeza, embargada no mesmo momento em que a documentação for verificada pela fiscalização.

Construtoras, muitas vezes, deixam de lado a verificação desse tipo de burocracia ao focarem mais em processos e gestão das obras, se esquecendo que uma boa gestão depende de conhecer todos os detalhes.

Engenheiros e construtoras que não se preocupam em verificar se cada uma das burocracias é atendida à risca colocam a obra, os usuários, ou outros trabalhadores e toda a presença de mercado em problemas.

Quer descobrir mais sobre as burocracias, normas regulamentadoras e diretrizes da construção civil para construtoras e profissionais? Acompanhe sempre os conteúdos do blog Obra Prima. Trazemos tudo o que há de mais importante para mais perto de você.