CUB - Construção Civil

Dicionário da construção civil: o que é CUB? Como é calculado?

Conheça os conceitos por trás do termo CUB com o dicionário da construção civil Obra Prima.

Na construção civil, tudo depende de cálculos. Cada obra, cada planejamento depende de medidas corretas, medição da quantidade de insumos, cálculos de orçamentos.

Você sabe disso, não é? 

Desde os primeiros momentos do planejamento de obras até os processos de pós-vendas, contabilizar dinheiro, materiais de construção e tempo é etapa essencial na lucratividade, qualidade e durabilidade de uma obra.

Ainda que todo cálculo utilizado na construção civil seja essencial, aqueles que fazem parte dos orçamentos de obras ganham um destaque especial. 

É nessa etapa que o dinheiro disponível para a execução vai ser definido, o que significa que basta um erro no cálculo da quantidade de materiais ou no tempo necessário para realizar uma atividade para gerar prejuízos.

Um dos indicadores mais utilizados na construção civil para o cálculo e orçamentos é o CUB. 

Conheça aqui esse conceito e entenda como utilizá-lo para melhorar os resultados de sua construtora.

O que é CUB?

CUB é a sigla para Custo Unitário Básico. 

Esse indicador instituído pela Lei nº 4.591/64 oferece valores por metro quadrado, assim, não é raro encontrar a sigla CUB/m².

O objetivo do CUB é garantir maior disciplina para o mercado de incorporação imobiliária, ajudando construtoras a determinar custos de imóveis no mercado de construção civil. 

Na prática, isso significa que o CUB oferece mais precisão na hora de fazer projeções dos custos do projeto para definir preços de venda.

Quem realiza as pesquisas mensais que determinam os valores do CUB é o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) e o documento pode ser encontrado no site da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC)

Nele são considerados como base os preços de produtos e de serviços do setor, sendo dividido por região, ou seja, cada sindicato pesquisa os custos na área do país onde atuam.

Ainda que, inicialmente, seja um indicador para o mercado imobiliário, o fato de existir há mais de 40 anos, o CUB tem sido cada vez mais aplicado para analisar e calcular o contexto macroeconômico dos custos na construção civil. 

Isso porque ele oferece, ao ser analisado, a evolução mensal dos custos das edificações.

Os valores são apurados com base em alguns projetos-padrão definidos pela Norma ABNT NBR 12.721, sendo eles:

  • Residência unifamiliar (R1);
  • Prédio popular (PP4);
  • Residência multifamiliar (R8 e R16);
  • Projeto de interesse social (PIS);
  • Residência popular (RP1Q);
  • Projeto comercial de andares livres (CAL8);
  • Projeto comercial de salas e lojas (CSL8 e CSL16);
  • Galpão industrial (GI).

Como o CUB é calculado?

Não saber como calcular o CUB faz com que muitas construtoras cometam erros e pensem que o indicador é ineficiente. 

No entanto, esse pensamento existe apenas porque empresas não sabem como utilizá-lo.

Quando calculado de maneira correta, o indicador pode ajudar muito na composição de preços e custos na construção civil. 

Claro, ele não é um sistema que oferece custos de obra extremamente precisos, mas oferece uma projeção eficiente e sem tantos desvios.

Realizar o cálculo é relativamente simples. Basta seguir a fórmula:

CUB = (preço de materiais + custo de mão de obra + preço de equipamento) / área construída

Com essa conta a construtora tem em mãos como resultado o custo por área, ou R$/m², dando uma visão de qual vai ser o custo e valor total do projeto já nos primeiros momentos do planejamento.

É importante destacar que o resultado do CUB pode ter um desvio de 20% de margem do custo real, mas é bom lembrar que essa projeção é uma ótima ferramenta, inclusive, para fazer análises de viabilidade mais eficientes.

Quer conhecer mais sobre os principais conceitos, técnicas e tecnologias da construção civil? Acompanhe as atualizações do blog Obra Prima.

Software de gestão de obras