Engenheiro com dificuldades na gestão financeira

8 erros de gestão financeira que podem fechar a sua construtora

É muito importante tomar cuidado com a gestão financeira da construtora para evitar prejuízos! E fazer o controle financeiro das obras de forma errada, está entre um dos principais erros dessa função.

Fazer o controle financeiro de obras e da própria construtora é uma missão quase impossível com equipes reduzidas e cronogramas cada vez mais apertados. Mas o problema ganha um peso ainda maior quando novas vendas demoram para acontecer e os clientes resolvem atrasar pagamentos.

Manter o caixa positivo é um desafio para a sua construtora e você já não sabe o que fazer para colocar a gestão financeira em dia

Pode ser a hora de olhar com outros olhos para o controle financeiro. Um conjunto de atividades que, quando feito com eficácia, ajuda a garantir a rentabilidade do seu negócio e das suas obras. Algo fundamental quando consideramos que a gestão financeira na construção civil envolve valores altos, contratação de mão de obra e compra de materiais.

Tem dúvidas sobre quais erros de gestão financeira e do cronograma financeiro de obra podem estar afetando a sua construtora? Preparamos este artigo para te mostrar os sete principais sintomas de problemas financeiros que podem levar uma construtora a, até mesmo, fechar suas portas. 

Preparado?

1. Misturar contas empresariais com contas pessoais

Pode parecer exagero, mas uma parcela considerável das empresas que vão à falência quebram devido ao descontrole financeiro. O que também inclui a bagunça entre contas empresariais e contas pessoais.

Para evitar o problema, procure separar com rigor a construtora da sua vida pessoal. E se a empresa tiver sócios, estabeleça períodos e condições para retiradas de capital. Assim, todos têm conhecimento sobre quanto da empresa foi transferido para o patrimônio pessoal.

2. Errar orçamentos de obras gerando gastos além do previsto

Para fazer uma estimativa realista de investimentos e evitar surpresas na execução dos projetos da construtora, consulte profissionais de diferentes especialidades. 

Assim, você pode prever os materiais a serem usados e as atividades envolvidas. Com isso, ganha previsibilidade de despesas. Pode avaliar quanto material precisa adquirir, quantos serviços contratar, entre outros gastos. 

3. Negligenciar a apropriação de custos

Fazer obras dentro do orçamento previsto nem sempre é possível, mas quando imprevistos ou a baixa produtividade acontecem é necessário identificar e corrigir erros.

Para isso, basta realizar a apropriação de custos. Isto é, lançar as contas a pagar para identificar o valor real dos gastos e, assim, o valor excedente. 

Quando a apropriação de custos é feita em tempo hábil, ou seja, ainda durante a execução da obra, evita que se torne mais cara. Outra vantagem é que ela funciona como um banco de dados histórico sobre a eficiência dos serviços prestados.

4. Não manter o fluxo de caixa da construtora em dia

Como você provavelmente já sabe, o fluxo de caixa funciona como um controle entre receitas e despesas dentro de um determinado período. Portanto, não pode ser uma suposição.

É com ele que sua construtora pode entender se os recursos financeiros estão em falta ou sobrando no caixa da empresa. O que também vale para o futuro, com a previsão do fluxo de caixa. 

Por isso, não deve ser visto apenas como mais uma obrigação que toda empresa tem, mas como um meio de detectar as causas de saldos altamente positivos ou negativos. E, claro, destinar os recursos em excesso no caixa da melhor forma possível como reinvestimentos ou aplicações bancárias.

No setor da construção civil, o fluxo de caixa é muito semelhante ao plano de contas financeiro. Um instrumento de controle que atende às exigências das leis federais número 11.638/2007 e 11.941/2009, qualifica a gestão do negócio e permite ajustes para que alcance melhores resultados. 

5. Não saber se a construtora está tendo lucro ou prejuízo

Pode parecer difícil saber quanto uma empresa está lucrando, mas isso é possível com a demonstração do resultado do exercício (DRE). Um relatório que mostra quais foram as despesas e receitas de um negócio em um certo período. Algo obrigatório para as empresas brasileiras, segundo a lei número 11.638/2007.

Com ele em mãos, sua construtora pode entender melhor sobre a sua performance ao longo do tempo e também descobrir se está tendo mais lucro ou prejuízo.

6. Não fazer um cronograma físico-financeiro de obras

Ao alinhar a gestão de custos com a gestão de prazos é possível visualizar prazos de execução de um projeto e os desembolsos financeiros envolvidos. Em outras palavras, estimar quanto será gasto em cada etapa do projeto.

Com um cronograma físico-financeiro de obras em mãos você pode controlar melhor os custos e agir rapidamente para contornar desvios no orçamento.

Esse documento favorece ainda a alocação de recursos, como equipamentos, mão de obra e materiais, e evita o aumento de custos por alocações insuficientes.

7. Não ter um controle dos funcionários

Quando uma construtora não consegue ter um controle rígido dos funcionários que fazem parte dela, o trabalho é mal distribuído e o rendimento mais baixo. O que sobrecarrega ou torna ociosa a mão de obra em períodos inoportunos. 

As consequências? Isso pode levar sua empresa a arcar com despesas como horas extras e outros problemas com a justiça trabalhista.

8. Fechar os olhos para a tecnologia, que pode ser uma importante aliada para a gestão financeira de obras

O departamento financeiro da construtora está sobrecarregado de demandas e acaba assumindo até mesmo tarefas administrativas? Com a ajuda de um software de gestão de obras sua empresa pode otimizar o tempo da equipe e tornar o controle financeiro mais eficiente, simples e transparente.

Isso sem falar ainda que trocar planilhas de controle feitas a mão por soluções digitais reduz também a porcentagem de erros na gestão financeira. Obter relatórios específicos e de indicadores também fica muito mais fácil.

Por que o controle financeiro de obras é essencial para o bom funcionamento da sua construtora?

Como uma construtora ganha dinheiro com obras, seja por empreitada, administração ou venda de obra completa, precisa ser produtiva para reduzir custos

Então, quando se atenta aos pontos que vimos neste artigo otimiza seu tempo e impulsiona a produtividade

Agora você já sabe como contornar os problemas de gestão financeira na sua construtora. Com o controle financeiro de obras e da sua própria empresa, você pode ter um lucro maior, crescer de modo sustentado, se consolidar no mercado e ganhar novos clientes. É isso o que você quer? Compartilhe nos comentários os seus maiores desafios empresariais quando o assunto é controle financeiro de obras!