Gestão de estoque de obras

Gestão de estoque de obras: o segredo para o sucesso!

O controle do estoque da construtora pode fazer toda a diferença na qualidade da logística e resultados das obras. Descubra aqui o segredo para uma gestão de estoque de sucesso.

As construtoras têm se preocupado cada vez mais com a gestão de processos de seus projetos, buscando otimizar compras, orçamentos, planejamento e cronogramas para alcançar melhores resultados e maior competitividade.

No entanto, mesmo que esse constante movimento de evolução seja muito positivo, muitas empresas deixam de lado a gestão de estoque no momento de fazer a gestão de obras, acreditando que um planejamento eficiente e compras bem organizadas são suficientes.

Os resultados desse investimento em gestão são essenciais para a lucratividade, mas os resultados jamais serão os esperados se o estoque for ignorado, principalmente para construtoras em fase de crescimento.

É importante sempre lembrar que a falta de controle dos estoques pode prejudicar a obra, causando desperdícios, compras de última hora, uso de materiais com baixa qualidade, atrasos e perda de produtividade.

Para ajudar a evitar esses problemas, trazemos aqui algumas dicas de como fugir das dores de um mau gerenciamento do estoque.

Os segredos para uma gestão de estoque de sucesso

Existem infinitas formas de otimizar a gestão de estoque e, assim como todo processo de gestão na construção civil, sempre surgem novas oportunidades para melhorias à medida que as tecnologias se desenvolvem.

Mesmo que esse processo de crescimento e maior controle sejam constantes, no entanto, é possível encontrar pontos de partida simples para dar o primeiro passo. 

É isso que trazemos aqui hoje: 4 dicas simples e essenciais para melhorar a gestão de estoque e iniciar um processo de otimização constante.

1. Tenha planilhas de controle de estoque

Ter um espaço com listas e controles do que existe no seu estoque que possa ser fácil e constantemente atualizado é essencial para começar uma gestão eficiente. 

Da mesma forma como acontece no financeiro, controle exige saber sobre disponibilidade de recursos, entra e saída.

Por isso, a primeira preocupação da sua construtora deve ser implementar um sistema de gestão.

A melhor opção sempre será buscar um aplicativo ou software que ofereça essa função, eliminando problemas por erros humanos na hora de inserir dados e buscando automatização sempre que possível.

Claro, é possível fazer a planilha no Excel, só não é a melhor opção.

2. Analise os dados e trace estratégias

Não existe melhoria na gestão sem conseguir identificar erros, riscos e problemas e para o estoque ter informações exige conhecer os insumos.

A primeira preocupação aqui é ter uma lista com descrições dos produtos em seu estoque:

  • O que é o insumo?
  • Qual o prazo de validade?
  • Quais as preocupações na hora do armazenamento?
  • Em qual quantidade estão estocados?

Se possível, crie um sistema logístico que permita achar facilmente onde estão os produtos na sala de estoque. 

São informações que ajudam a tomar decisões sobre prioridade de uso, cuidados ao levar para o canteiro de obras e necessidade de reposição.

3. Controle a entrada e saída de insumos

Mencionamos no item anterior a necessidade de coletar informações e dados claros e precisos sobre seu estoque e isso inclui a entrada e saída de insumos. 

Colocamos em um item separado por ser a parte mais importante no momento de fazer a gestão de estoque de obras e da construtora.

É essencial saber a quantidade e qual material sai do estoque para ser usado e o que entra, seja por compra ou por ter sobrado, e esse controle deve ser feito por um profissional de confiança e focado nessa tarefa, não deixando que insumos sejam retirados, nem por poucos minutos, sem registrar.

Para um controle otimizado da entrada e saída, é essencial ter e preencher sempre 3 documentos principais:

  • Documento de entrada: deve conter o número da ordem de compra, onde está a descrição dos produtos e quantidades, a nota fiscal e quem fez o recebimento.
  • Documento de saída: constando os materiais que foram retirados, a quantidade, para qual obra ou departamento foi enviado e quem fez a retirada.
  • Registro de transferência: Registrando quais materiais e em que quantidade, em lugar de voltar para o estoque, foram levados para outra obra e o responsável pela movimentação.

Esse controle ajuda a construtora a saber quando é necessário realizar novas compras por um insumo que está acabando, quanto de espaço está disponível e se é necessário buscar outras áreas de armazenagem.

4. Busque possibilidades de integração de departamentos

O estoque impacta em todo o processo de planejamento e execução da obra, além de influenciar no funcionamento do escritório.

O departamento de compras, por exemplo, precisa das informações do estoque para saber quais materiais de construção a construtora já tem em quantidade suficiente, se há espaço de armazenamento suficiente, se a data de entrega do fornecedor exige que o insumo vá para estoque ou diretamente para o canteiro.

Essa lógica se aplica a todos os departamentos: planejamento, para organização de cronogramas e orçamento, escritório, para controle de pedidos de papelaria para as compras, financeiro, para controle de desperdício com perda de materiais que passam da validade, entre outros.

Ter uma ferramenta que permita compartilhar essas informações de forma rápida e automatizada é, então, essencial para uma boa gestão de estoque.

Gestão de obras com o suporte de softwares

Sim, mais uma vez os softwares de gestão de obras podem ser a resposta para as dores de construtoras que querem ter mais controle na gestão de estoque.

O software de gestão de obras Obra Prima oferece aos usuários uma área específica para o estoque, com importação de orçamento de fornecedores, controle automatizado, acessível e totalmente integrado aos demais departamentos.

Descubra outras funcionalidades do software de gestão de obras Obra Prima e conheça novas oportunidades de otimização da gestão dos departamentos da sua construtora.

software de gestão de obra