Gestão de obras: entenda como priorizar a compra de insumos.

E a sua gestão de compras? Entenda como priorizar a compra de insumos

Conheça as melhores formas de organizar a compra de insumos e estabelecer uma boa gestão de compras na sua construtora.

Organizar os elementos da obra, garantindo que cronogramas sejam cumpridos, orçamentos respeitados e insumos estejam disponíveis é essencial para que os resultados tenham a qualidade esperada no planejamento.

É nessa hora que estabelecer a melhor gestão de compras faz toda a diferença para a competitividade e assertividade da construtora na execução de projetos.

O departamento de compras é o principal responsável por selecionar o fornecedor com melhor custo-benefício, organizar os prazos de entregas e negociar pagamentos. 

Para isso, no entanto, precisa ter em mãos dados de outros departamentos, conhecendo a verba disponível, espaço de armazenamento e controle de estoque.

Na hora de priorizar a compra de insumos essenciais para a execução de obras, ter uma boa gestão é indispensável.

Descubra aqui como melhorar a sua.

Gestão de compras: como otimizar a aquisição de insumos?

Uma boa gestão de compras depende de saber o melhor momento e quais insumos é necessário adquirir para manter a contínua execução de obra dentro do orçamento e do cronograma.

Isso significa que a construtora precisa encontrar um modo de garantir que o departamento de compras tome decisões não só considerando o financeiro, mas também o controle de estoque.

Nesse momento, existem 4 sistemas que quando bem organizados podem ajudar a manter um bom controle na gestão de compras:

  1. Estoque mínimo
  2. Curva ABC
  3. EOQ
  4. Lean Construction

Vamos falar aqui um pouco mais sobre cada um para você entender melhor como eles podem te ajudar na hora de realizar na hora de fazer a administração de obras. 

1. Estoque mínimo

Custos de armazenamentos em estoque podem ser um grande desafio para o financeiro da construtora e tem grande impacto na gestão de compras. 

Afinal, de nada adianta comprar materiais de construção e tudo o que a obra vai precisar com antecedência se você não vai ter espaço para guardar de maneira correta e sem riscos de danos.

Trabalhar com a técnica do estoque mínimo pode ser uma solução para evitar esses custos de armazenamento, para controlar datas de compra e constante capital de giro, ao mesmo tempo que se aumenta a produção.

Nesse sistema, o acordo do departamento de compras com o fornecedor tem prazos específicos para a entrega de cada material. 

Isso significa que mesmo que a compra de todos os materiais da obra seja feita no início, cada insumo chega num momento específico ao estoque ou ao canteiro de obras.

É uma ótima maneira de aumentar a produtividade e organizar a logística de compras com menores riscos de desperdício e perda de insumos. 

Além disso, oferece mais flexibilidade para o departamento de compras tomar melhores decisões sobre outras obras também.

Claro, esse sistema vem com seus riscos. 

É essencial ter um controle de estoque impecável, acompanhar de perto o cronograma da obra, ter fornecedores de confiança e que cumpram prazos.

2. Curva ABC

A curva ABC é outra técnica que facilita muito a gestão de compras, como já vimos aqui no blog no texto sobre como calcular a curva ABC..

Ela permite avaliar os insumos de acordo com quão essenciais são para a obra e os impactos que seu custo e armazenamento tem no financeiro, estoque, logística e gestão de obras.

O modelo básico define os insumos em 3 grupos:

Grupo A: 5 a 10% dos insumos que correspondam a 70% do orçamento ou mais;

Grupo B: insumos que representam de 15% a 20% da quantidade de material e do orçamento;

Grupo C: demais itens, correspondendo a de 5% a 10% do orçamento.

Com essa classificação, manter o controle de como e quando gastar o dinheiro do orçamento, o que deve ser comprado primeiro e o que pode esperar se torna mais fácil, otimizando muito a gestão de compras. 

Isso significa que as compras são realizadas de maneira mais estratégica e organizada, sempre lembrando, claro, que um insumo no grupo C é menos essencial.

Mas ainda assim importante para a execução de obras, não podendo ser ignorado.

3. EOQ

EOQ é a sigla para Economic Order Quantity, que pode ser traduzido por Lote Econômico de Compras. 

O foco principal desse sistema é estabelecer as melhores decisões logísticas para o departamento de compras.

A proposta é priorizar um fornecedor para concentrar os pedidos em um único lote. 

É uma opção eficiente para construtoras que não podem adotar o sistema de estoque mínimo.

Já que nesse caso o ideal é que os insumos sejam entregues todos de uma vez.

Pode ser a resposta, também, para construtoras que trabalham com obras menores, ou seja, com uma necessidade de menos insumos por projetos, como é o caso das reformas.

A principal vantagem desse método é a possibilidade de conseguir melhores negociações com o fornecedor. 

No entanto, exige ter a segurança de que esse fornecedor será capaz de cumprir com a demanda de insumos.

É importante lembrar que se sua construtora optou por essa opção por ter uma necessidade menor de insumos, em termos de quantidade, as possibilidades de negociação não serão tão amplas.

4. Lean Construction

Ao entender o conceito de Lean Construction, o que é e como auxilia na otimização das obras, percebemos o grande foco no aumento da produtividade e redução de desperdícios.

Esses objetivos se ligam à gestão de compras por tomar como base o controle do fluxo de materiais. 

Esse fluxo é utilizado para controlar orçamentos e cronogramas, beneficiando as compras tanto quanto a gestão de obras.

Esse modelo ajuda a manter a acompanhar mais de perto o que entra e sai do estoque, oferecendo um banco de dados completo para as decisões mais estratégicas do departamento de compras.

A maior vantagem do Lean Construction é o valor agregado que traz para toda a construtora e para o projeto final. 

No entanto, conseguir esses resultados é essencial que a metodologia seja utilizada junto com um sistema completo de gestão de obras.

Gestão de compras e o suporte da tecnologia

Uma boa gestão de compras, como vimos, depende de sistemas e metodologias que ofereçam controle e todas as opções sempre apontam para uma construtora com departamentos integrados.

Com essa necessidade de integração e constante controle de estoque, financeiro e logística, não é surpresa quando percebemos que uma boa gestão de compras na construção civil e que garante a priorização da compra de insumos depende de uma gestão de obras eficiente.

É nesse momento que vemos que um software de gestão de obras pode ser um diferencial em construtoras que desejam melhorar a relação com fornecedores, negociar os melhores preços e garantir prazos e armazenamento de qualidade.

Quer saber como mais o software de gestão de obras pode melhorar os resultados de seus projetos? Acompanhe os conteúdos do Obra Prima e descubra.

Software de gestão de obras