Como evitar os riscos na construção Civil? O Mapa de riscos pode ser a solução!

Mapa de riscos: O que é e como impacta a construção civil?

Conheça os benefícios que um mapa de riscos traz para a construtora e como é feita a identificação das ameaças do canteiro de obras.

Qualquer pesquisa simples no Google permite ter a certeza de que a construção civil é um dos setores que mais coloca os trabalhadores em risco. O número de acidentes de trabalho é significativo.

  • Trabalhos em grandes alturas;
  • equipamentos pesados e perigosos;
  • frequente trânsito de veículos no mesmo espaço dos trânsito de pessoas pelo canteiro de obra;
  • e perigo de queda de materiais…

Tudo isso pode resultar em danos físicos e, em alguns casos, morte.

A responsabilidade de fazer de tudo o possível para evitar que acidentes aconteçam e proteger a integridade física dos trabalhadores é das construtoras. 

Ainda assim, cumprir as normas de Saúde e Segurança do Trabalho (SST) e oferecer os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) é apenas um dos passos para evitar acidentes.

Qualquer construtora que esteja realmente preocupada em evitar riscos e proteger os trabalhadores no canteiro de obras deve começar com uma análise de riscos eficiente. É para garantir que cada risco seja identificado, prevenido e respostas adequadas a acidentes que o mapa de riscos existe.

Uma ferramenta essencial para construtoras que querem escapar de problemas e proteger os trabalhadores no canteiro de obras, conhecer o mapa de riscos é essencial. 

Se você ainda não conhece, sente-se confortavelmente e acompanhe o texto que o Obra Prima explica.

mapa de riscos na construção civil

Mapa de riscos: o que é?

Mapas de riscos são um documento que descrevem as ameaças que estão presentes na execução de uma obra da construção civil. 

Ainda que seja um laudo, esse não é um documento complexo de ser lido, tornando as informações sobre riscos muito acessíveis para a construtora e os trabalhadores.

São identificadas no mapa de riscos as ameaças químicas, físicas e de acidentes, entre muitas outras. Cada um dos riscos é classificado de acordo com o perigo que representa para o trabalhador em grande, médio ou pequeno.

Visualmente, o que a construtora encontra ao pegar um mapa de riscos é um mapa do canteiro de obras onde estão marcados os pontos onde cada risco se encontra e sua classificação. 

Olhar um mapa de riscos seria como olhar para o mapa de assentos de um show, onde cada preço de ingresso e zona do centro de eventos é marcado em uma cor. Assim, o que se vê é o mapa do canteiro com zonas coloridas. 

O mapa é feito com base em 3 elementos: tipo de riscos, intensidade e medidas preventivas. Em um canteiro de obra se pode encontrar 5 tipos diferentes de riscos divididos por cores, são eles:

  • Riscos físicos, marcados na cor verde e referentes ameaças relacionadas à temperaturas muito altas ou baixas, excesso de umidade, grandes alturas e outros elementos do ambiente.
  • Risco químico, identificados pela cor vermelha e que faz referência a presença de produtos químicos que possam ser prejudiciais à saúde, incluindo poeira tóxica, líquidos e gases.
  • Riscos biológicos, como presença de bactérias, fungos, mofo, vírus, zonas de alto contágio caso um trabalhador esteja doente e etc. Marcado com a cor marrom, pode ser um grande diferencial em tempo como os atuais, de pandemia.
  • Riscos ergonômicos, de cor amarela, que são os perigos decorrentes da execução do trabalho para o empregado. É o caso de jornadas muito longas, atividades repetitivas ou em ritmo muito intenso, ter que carregar muito peso, entre outros.
  • Risco de acidentes, marcados em azul, onde são marcadas zonas com equipamentos desprotegidos, iluminação precária, riscos de incêndios e outros.

Cada um dos riscos identificados é qualificado, geralmente por meio de círculos, entre grande, médio e pequeno. Assim, um risco pequeno de incêndio é marcado por um pequeno círculo azul, enquanto um risco biológico alto será um grande círculo marrom. 

Além de estabelecer os tipos de risco, é fundamental saber qual o grau de perigo apresentado. Por isso, um mapa de risco também conta com um indicativo de intensidade. 

Para cada risco encontrado são definidas medidas preventivas específicas, indicando a causa do perigo, o risco corrido e o que é possível fazer para evitar acidentes e solucionar problemas caso eles ocorram.

Assim, a proteção individual e coletiva é garantida ao trabalhador e, caso se concretizem, medidas adequadas sejam tomadas para reduzir os danos à obra e aos trabalhadores.

a importância do mapa de riscos para obras

A importância do mapa de riscos na construção civil

Quando se pensa no grande número de acidentes e nas muitas possibilidades de que eles se tornem fatais em um canteiro de obras, determinar a importância da realização de um mapa de riscos na construção civil se torna óbvio.

O primeiro fato é de que proteger os trabalhadores é essencial. São vidas que podem ser prejudicadas por acidentes. Em um caso menos problemático, uma queimadura ou um dedo quebrado é motivo de muita dor e exige o afastamento do trabalhador. 

Casos graves são ainda mais terríveis, uma vez que acidentes podem significar a perda de um membro, aposentadoria compulsória por invalidez e até mesmo a morte.

Para a construtora, os resultados não são menos terríveis. 

Um trabalhador afastado é uma mão de obra que continua sendo paga e que tem que ser substituída. 

É um custo adicional, assim como os gastos com o equipamento que quebrou ou materiais perdidos no acidente, além, é claro, dos impactos no cronograma de obras.

Os dois pontos de vista são catastróficos e prejudiciais, o que faz com que reduzir riscos deva ser um esforço de destaque para a construtora. 

Para empresas que possuem uma CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), além de estratégico, o mapa de obras é exigido por lei, não devendo ser ignorado.

gestão de obras otimizada

Gestão de obras otimizado com mapas de riscos

Investir em segurança é essencial para uma boa gestão de obras. 

Garantir que riscos não afetem o cronograma, orçamento e qualidade da obra é de extrema importância para cumprir com as normas da SST e para proteger o crescimento e lucratividade da construtora.

Uma boa gestão só existe quando cada risco é considerado, de forma que não dá para pensar em otimizar a gestão de obras sem um bom mapa de riscos.
Quer descobrir outras formas de otimizar a gestão de obras de sua construtora? Acompanhe os conteúdos do Obra Prima e fique sempre por dentro.