NR 23: o que é e qual a sua aplicação na construção civil?

NR 23: o que é e qual a sua aplicação na construção civil?

Incêndios são muito perigosos e podem ser fatais. Por isso, todas as empresas precisam tomar medidas claras para evitar e conter possíveis incêndios. E a Norma Regulamentadora que estabelece essas medidas é a NR 23. 

As normas regulamentadoras dão as diretrizes específicas sobre como trabalhar sem correr risco e em segurança. 

Como o objetivo dessas NRs é garantir a saúde e segurança dos colaboradores, se torna essencial que a indústria da construção preste atenção aos detalhes de cada uma delas.

Existe uma específica que ajuda a proteger contra incêndios e evitar tragédias relacionadas ao fogo. É a NR 23.

O que você sabe sobre ela?

O que é a NR 23? 

A NR 23 traz diretrizes específicas para proteção contra incêndios. 

O seu objetivo é guiar as empresas a respeito do que elas precisam fazer, quais tipos de instalações realizar e as melhores práticas de trabalho para evitar ou controlar situações relacionadas com fogo

A NR 23, como padrão das normas regulamentadoras, segue os mesmos parâmetros gerais: 

  • em parte, possui instruções mais amplas que todas as empresas precisam colocar em prática;
  • em parte, dá instruções específicas que devem ser aplicadas somente em alguns casos.

Por isso mesmo, é importante estudar a NR 23 por inteiro e com calma para entender todos os detalhes que se aplicam ou não em cada situação. 

Leia também:

NR 10: o que é essa Norma Regulamentadora e qual sua importância para a construção civil? – Obra Prima

NR 5 – CIPA: o que é essa Norma Regulamentadora e qual sua importância para a construção civil? – Obra Prima

Como se aplica a NR 23? 

Primeiro, vamos entender as instruções mais gerais. É obrigatório para todas as empresas: 

  • Pessoas treinadas para usar da maneira certa os equipamentos de prevenção e contenção dos incêndios;
  • Equipamento suficiente para combater o fogo no seu início;
  • Dispor de mecanismos de proteção contra os incêndios;
  • Dispor de saídas suficientes para a rápida retirada das pessoas em serviço, em caso de incêndio. 

Ou seja, nenhuma empresa está isenta de tomar essas medidas para evitar e controlar possíveis incêndios. 

Isso é ainda mais relevante no setor da construção civil, que lida com diversos trabalhos perigosos que podem provocar incêndios de qualquer porte. 

Caso a sua construtora não esteja em dia com essa norma, tá na hora de correr atrás!

4 pontos importantes que você precisa saber sobre a NR 23

Como todas as Normas Regulamentadoras, a NR 23 mostra algumas orientações que são essenciais para que seja de fato possível evitar ou lidar com incêndios. 

  1. Placas de sinalização precisam indicar o curso de ação;
  2. Os caminhos para as saídas precisam ser livres;
  3. O fogo é dividido em 4 classes;
  4. É necessário realizar treinamentos de incêndio.

Vamos entender um pouco mais sobre cada um desses pontos a seguir, mas lembre-se: nada substitui a sua própria leitura completa do documento! 

1. Placas de sinalização precisam indicar o curso de ação

A NR 23 mantém a preocupação com o percurso que as pessoas vão fazer até um lugar seguro seguindo as placas de sinalização.  

Pense na seguinte situação: 

Um novo funcionário ou até mesmo um visitante se vê no momento de evacuação do local e para fugir do incêndio, ele precisa conseguir encontrar a saída sem conhecer o prédio. 

Por isso é tão importante colocar as placas de sinalização que indiquem a rota de fuga até os locais seguros. 

Ah, e uma boa iluminação também é de grande ajuda! 

2. Os caminhos para as saídas precisam ser livres

Além de um trajeto bem sinalizado, é importante que ele esteja livre de obstáculos. 

As saídas de emergências estão entre os recursos principais que a NR 23 destaca para proteger as pessoas que estão dentro de um edifício pegando fogo. 

Mas, não adianta só proteger as pessoas que estão perto das saídas. 

Pense no seguinte: 

Cada indivíduo que está no prédio precisa ter condições de chegar às saídas de emergência o mais rápido possível e sem dificuldades. 

Para que isso seja possível, a NR 23 determina que as passagens precisam estar sem obstruções e com uma boa iluminação. 

Assim, não é permitido usar corredores ou áreas que levem a saídas de emergência como almoxarifados ou depósitos… 

Também não é aconselhado que o percurso contenha outras portas com passagens restritas ou que  fiquem sempre trancadas. 

3. O fogo é dividido em 4 classes

O fogo é dividido em 4 classes e dependendo da classe as instruções são diferentes e podem ser o que vai salvar a vida de muitas pessoas ou piorar ainda mais o problema. 

Os classes de fogo são: 

  • Classe A: materiais de fácil combustão que queimam na superfície e em profundidade, e deixam resíduos. Por exemplo: tecidos, fibra, papel, madeira….
  • Classe B: produtos que queimam somente em sua superfície e não deixam resíduos, como graxas, óleos, tintas, gasolinas…
  • Classe C: quando o fogo atinge equipamentos elétricos energizados como transformadores, motores, quadros de distribuição, fios…  
  • Classe D: Elementos pirofóricos como magnésio, titânio e zircônio. 

4. É necessário realizar treinamentos de incêndio

Outra diretriz muito positiva da NR 23 é a inclusão de treinamentos de combate ao fogo que precisam ser feitos periodicamente nas empresas. 

Esses treinamentos têm como objetivo estabelecer algumas medidas para a proteção e segurança dos trabalhadores: 

  • evitar qualquer tipo de pânico em caso de incêndio; 
  • todos os colaboradores precisam conhecer bem o significado do sinal de alarme;
  • todos sejam capazes de evacuar em ordem o local;
  • o som do alarme precisa ser ouvido em todas as áreas da empresa, sem exceções;
  • todos os colaboradores precisam saber quais são as suas responsabilidades e tarefas específicas em caso de emergências. 

Cuidados que devem ser tomados ao aplicar a NR 23

É muito positivo buscar medidas para aplicar as NRs, mas somente a disposição para agir não é suficiente. 

Também é essencial colocar em prática as diretrizes da maneira como a norma aponta. 

Além de fazer os procedimentos já mencionados anteriormente, é fundamental dar atenção a outros pontos relevantes: 

1. Use somente extintores aprovados pelo INMETRO

A busca pela economia na hora de comprar equipamentos de segurança pode colocar em risco toda a operação contra incêndios. 

Salvar vidas precisa ser sempre mais importante do que economizar dinheiro!

O INMETRO segue rígidas normas técnicas que asseguram o padrão de qualidade dos produtos e evita itens que podem prejudicar uma boa prevenção. 

Portanto, comprar materiais e equipamentos de qualidade atestada é fundamental para seguir corretamente a NR 23. 

2. Cada classe de fogo tem extintores específicos

É preciso tomar cuidados específicos com cada classe de fogo durante um incêndio. Jogar água em todas elas com certeza pioraria o problema em vários casos. 

Para evitar problemas, faça o seguinte: 

  • Extintores “Químico Seco” funcionam para classes B e C;
  • Extintores de “Espuma” funcionam para as classes A e B;
  • Extintores de “Dióxido de Carbono” só funciona na classe A no início e nas classes B e C;
  • Extintores de “Água-Gás” ou “Água Pressurizada” são usados para Classe A
  • Outros tipos de extintores portáteis podem até ser usados com autorização prévia da autoridade competente em matéria de Saúde e Segurança do Trabalho (SST);  
  • O método de abafamento através da limalha de ferro fundido pode ser usado contra fogos de Classe D;
  • O método de abafamento usando balde de areia em casos de Classes B e D. 

Segurança e Proteção do Trabalhador

A NR 23, assim como todas as outras NRs, trata de problemas reconhecidamente presentes em empresas.

Essa norma em específico, busca resolver situações de mais urgência que podem atingir a empresa: os incêndios. 

Pode ser difícil aplicar algumas dessas instruções estabelecidas pela NR 23, mas fazer isso pode fazer a diferença e salvar muitas vidas na obra. 

Para saber mais sobre essa e outras NRs, além de mais conteúdos sobre segurança do trabalhador, acompanhe o nosso blog

Também siga a conta do Instagram, lá tem sempre muita informação útil para o seu dia a dia na construção civil.

Software de gestão de obras