Tabela ORSE e Tabela Sinapi

Orçamento de obras: as diferenças e aplicações das tabelas ORSE e Sinapi

Descubra como as duas tabelas fazem parte da construção civil e podem melhorar o orçamento de obras.

O orçamento de obra é a base de um projeto de sucesso na construção civil. Tudo depende de ter condições de pagar, seja do ponto de vista dos materiais e mão de obra, quanto quando olhamos para os especialistas envolvidos no planejamento e o próprio funcionamento interno das construtoras.

Por esse motivo, elaborar um orçamento de obras eficiente e que cubra todos os gastos diretos e indiretos do projeto é essencial para toda construtora, exigindo muita atenção e as ferramentas corretas para não acabar no prejuízo.

Saber como realizar de forma assertiva a medição de obras, identificando a quantidade de materiais, mão de obra e outros elementos necessários para a execução do projeto é de extrema importância, o que não é uma tarefa fácil.

As ferramentas certas para a medição de obra, claro, fazem toda a diferença não só na hora de conseguir um orçamento mais eficiente, mas também na segurança das obras.

Existem muitas ferramentas que podem ser utilizadas, no entanto, duas ganham maior destaque na construção civil, principalmente para construtoras que trabalham com obras públicas: as tabelas ORSE e Sinapi.

Conheça aqui um pouco mais sobre cada uma delas e entenda as diferenças.

Tabela Sinapi: a ajuda que sua construtora precisa para obras públicas

O ponto principal na escolha da tabela Sinapi é o fato de ela ser obrigatória para a elaboração de orçamentos para obras públicas.

Elaborada pela parceria entre Caixa Econômica Federal e IBGE, suas informações são atualizadas mensalmente e separadas em regiões. 

As entidades realizam uma pesquisa profunda dos custos praticados na construção civil para uma grande variedade de insumos.

Essa é uma tabela confiável e sempre atual e que oferece uma base de cálculos eficientes para que os orçamentos de obra apresentem valores muito mais alinhados com o que é praticado no mercado e as construtoras e clientes não enfrentam surpresas nos custos na hora de realizar as compras.

Descubra aqui como fazer orçamentos de obra com a tabela Sinapi >

Conheça a tabela ORSE

Assim como a Sinapi, a tabela ORSE também é um banco de dados de composição de preços unitários de insumos da construção civil atualizado mensalmente.

Contando com mais de 9 mil insumos, ela está associada com o software ORSE, onde, além da composição de custos, é possível criar planilhas de orçamentos considerando encargos, BDI ou despesas indiretas e associadas a cronogramas físico-financeiros.

Claro, é possível apenas utilizar a tabela e seus dados para a medição de custos dos projetos.

O principal ponto a ser destacado sobre a ORSE é a recente atualização, que adequou os dados apresentados, incluindo encargos complementares, ao Manual de Metodologias e Conceitos do Sinapi.

Com isso, a tabela ORSE começou a ser muito aplicada como um sistema que complementa a tabela Sinapi.

Diferenças entre as duas tabelas

Cada medição de obra é diferente dependendo dos preços de insumos e composições de custos utilizados, essa é a principal diferença na comparação entre as duas tabelas, mesmo após as revisões que colocam a ORSE em concordância com a SINAPI.

Outra diferença importante é que a tabela ORSE é operada pelo usuário, possuindo uma plataforma onde a coleta de preço é feita utilizando funcionalidades do software. Já a Sinapi é uma tabela que precisa ser importada em um sistema de gestão de obras ou em um software de criação de orçamentos ou Excel.

A pesquisa de preços na ORSE também é diferente, já que o usuário tem controle e a pesquisa pode ser feita diretamente com fornecedores e lojas de materiais de construção.

A tabela ORSE oferece os dados coletados diretamente com fornecedores habilitados na medição de valores oferecida.

Já a Sinapi oferece esse mesmo contato com fornecedores habilitados para a composição de preços, mas não é uma tabela nacional, separando esses fornecedores por região do país onde atuam e os valores são calculados utilizando coeficientes multiplicadores, chegando a uma média da região.

Assim, mesmo que se considere as semelhanças e eficiência das duas tabelas, é preciso considerar que mesmo que a tabela Sinapi seja exigida para licitações de obras públicas, a tabela ORSE oferece maiores garantias de que os valores estão atualizados.

Cuidado com o orçamento de obras: busque as melhores ferramentas para garantir crescimento

O cuidado com o orçamento de obras exige buscar tecnologias e estratégias que aumentem cada vez mais a assertividade dos valores encontrados. 

Muitas vezes, mais do que profissionais capacitados, a construtora precisa de bases de dados e automação de cálculos que garantam o uso de informações atualizadas eliminando erros de cálculos.

É nessa hora que os softwares de gestão de obra podem fazer toda a diferença na qualidade dos orçamentos oferecidos a clientes. 

O software Obra Prima traz em suas funcionalidades muitas facilidades para construtoras, sendo a integração com a tabela Sinapi a principal delas.

Nosso software de gestão de obras está preparado para trazer os dados da tabela para o aplicativo e realizar, automaticamente, os cálculos de custos indiretos, totais, margens de lucros, taxas e outros custos relacionados ao projeto.

Softwares de gestão de obras, mais do que trazer essas facilidades e reduzir erros, ainda garantem que o orçamento de obras seja realizado considerando fluxo de caixa e a integração com o departamento financeiro e de compras, tornando todo o processo de gestão de recursos do projeto mais eficiente.

Quer saber mais sobre as tabelas e ferramentas que otimizam os orçamentos de obras? Acompanhe no blog Obra Prima.

Software de gestão de obras