organização de obras

Guia básico de organização da construtora: o passo a passo para crescer!

Você sempre se pergunta sobre como fazer sua construtora crescer, mas ainda não encontrou soluções palpáveis para isso? Conseguir se destacar em um mercado tão competitivo como o setor da construção civil é, de fato, um desafio constante. Mas, além de garra e força de vontade, é preciso olhar “para dentro” para otimizar processos e a gestão de construtora.

Segundo a pesquisa Raio-x do empreendedorismo no Brasil, um estudo do MindMiners e PayPal, processos burocráticos e operacionais são as principais dificuldades dos empreendedores no país. De acordo com a Pesquisa Desafios dos Empreendedores Brasileiros, realizada pela Endeavor: gestão de pessoas, gestão financeira e burocracia são os três principais desafios dos empresários no Brasil.

Por mais chato que pareça, se atentar a processos para aprender como fazer uma construtora crescer, é mais do que necessário. Evita que a empresa feche suas portas e que todo o esforço realizado até então vá por água abaixo.

Então, se o desânimo aparecer, não se deixe abalar: a jornada empreendedora é assim mesmo e tem seus obstáculos. Cabe a você, empreendedor, se antecipar aos problemas para planejar e gerenciar cada vez melhor o dia a dia da sua construtora.

Preparamos este guia para ajudar você a superar possíveis problemas de gestão de construtora que possam estar prejudicando o crescimento da sua empresa. Acompanhe!

Passo a passo para otimizar os processos e a gestão de construtora

Quer saber qual é o primeiro passo para crescer? Saber como organizar a construtora para perpetuar o seu negócio?

Acredite: com pequenas mudanças internas e com baixo investimento é possível otimizar processos e melhorar resultados. O que envolve tanto questões internas quanto as atividades no canteiro de obras.

Você tem dificuldade para identificar o que pode ser melhorado dentro da estrutura da sua empresa? Confira um passo a passo para começar a organizar e otimizar a gestão de construtora para impulsionar o crescimento do negócio:

1. Começar reorganizando as funções e descentralizando os responsáveis

Adotar estratégias como conversar com os responsáveis em cada função existente e mapear processos para identificar melhorias são um bom começo. Afinal, nada melhor do que ouvir o que os colaboradores têm a dizer para entender as fraquezas e as oportunidades pela frente.

Isso feito, outra dica para otimizar a gestão de construtora é descentralizar os responsáveis e incentivar o trabalho em equipe.

Para melhorar a organização da construtora e construir bases sólidas, os processos precisam estar claros e bem definidos. Cada profissional da equipe deve saber qual é seu papel, qual é o prazo para entregar sua atividade e a importância no contexto da construção.

2. Ter controle absoluto sobre o planejamento dos projetos

Embora não exista uma receita pronta para o crescimento da construtora, é preciso ter cuidado ao planejar suas ações. O planejamento é essencial para o sucesso de qualquer empreendimento. Só assim é possível garantir que nada saia errado e que se chegue mais rápido aos resultados esperados.

Para aumentar o controle sobre o planejamento dos projetos, é importante que você entenda onde está, para onde quer ir e como chegar lá. Isso torna mais fácil realizar as obras dentro dos parâmetros desejados, além de evitar atrasos, desperdícios e perdas.

Entregar um projeto dentro do prazo previsto pode ser um diferencial para a construtora, mas é o planejamento de obras de construção civil que ajuda a melhorar processos e agilizar operações. Isso porque deve acompanhar cada fase de execução do projeto, prever custos e sua finalização.

Assim sendo, a gestão de construtora que quer alcançar crescimento é aquela que faz do planejamento de projetos a parte mais importante do processo. Quando o escopo é bem planejado, o tempo de execução pode ser mais curto. 

Tem dúvida se o planejamento de projetos precisa ser melhorado ou não? É só olhar para os custos envolvidos e para o tempo de execução da obra. Se foram muito maiores do que o previsto, são sinais de que é preciso corrigir problemas de planejamento. Simples assim. 

3. Não abandonar o planejamento empresarial

O planejamento empresarial é a base de sustento de qualquer empresa, o que não muda no caso da construção civil. Deve prever os gastos de todas as etapas do negócio para evitar problemas como ausência de especialistas ou obras paradas pela falta de materiais, por exemplo.

É com ele que a construtora também pode definir quanto pretende ganhar em cada obra.

4. Organizar o cronograma de obras sendo realista

Todo projeto está sujeito a riscos, mas o cronograma deve ser realista para manter o equilíbrio necessário para a conclusão do que foi planejado. E, claro, ser seguido à risca.

Ao distribuir custos por datas e etapas, aceitando ou negando os riscos que todo o processo pode ter, o cronograma ganha eficiência.

Veja só um exemplo: vamos supor que está tudo certo no cronograma e sua obra está em fase de escavações, porém o fornecedor não entrega o equipamento na data prevista. 

O que acontece se esse risco não for levado em conta e não houver uma ação prevista no cronograma para contornar o problema? O cronograma não estará mais alinhado com a realidade do canteiro de obras e o caos pode se tornar generalizado.

Por essa e por todas as outras, é mais do que preciso considerar os riscos envolvidos às atividades do projeto para prevenir prejuízos. Com esse cuidado, é possível reduzir atrasos em obras, evitar o aumento de custos orçados e, inclusive, melhorar o fluxo de caixa.

5. Organizar o setor financeiro da construtora para não acabar no prejuízo

Direcionar seu negócio rumo ao crescimento também passa por melhorias na gestão financeira da construtora. Embora muitas pequenas empresas negligenciem a organização do setor financeiro, assumir ações e procedimentos para maximizar resultados econômicos e financeiros é prevenir prejuízo.

Para melhorar a organização da construtora em questões financeiras, é importante separar custos, despesas, recebimentos e pagamentos de acordo com os projetos. E incluir à rotina atividades como: conciliação bancária, fluxo de caixa e análise do demonstrativo de resultados.

Com conhecimento dos custos e despesas, fica mais fácil planejar novos negócios e também otimizar processos em obras. O que ajuda ainda a melhorar a precificação de serviço e a elevar a lucratividade do negócio.

Ainda tem dúvidas sobre os principais termos relacionados à gestão financeira da construtora? Aproveite para esclarecer todas elas agora mesmo. Veja uma lista com os principais indicadores financeiros que devem ser observados em seu dia a dia empresarial:

  • Contas a pagar: são as obrigações financeiras que a empresa assume com os fornecedores e impostos.
  • Contas a receber: registro que indica as entradas e as baixas das vendas da empresa.
  • Custos fixos: independem da quantidade de obras e serviços prestados pela construtora.
  • Custos variáveis: variam conforme a produção do seu negócio.
  • Despesas diretas: são a soma de todos os custos unitários dos serviços necessários para a execução das obras e a administração local.
  • Despesas indiretas: são gastos que não se relacionam apenas com a realização das obras, mas percentuais sobre seu custo total.
  • Gastos: desembolsos que a construtora tem, sejam em custos, despesas ou investimentos.
  • Índice de endividamento: indica as relações entre o capital próprio e o capital de terceiros.
  • Índice de liquidez: mostra a capacidade que a construtora tem para honrar seus compromissos financeiros.
  • Índice de rentabilidade: calcula o retorno da empresa sobre os seus ativos em um determinado período de tempo.
  • Investimentos: são os gastos que têm como objetivo aumentar a receita ou melhorar a imagem da construtora.
  • Lucro bruto: é a diferença entre a receita líquida de serviços e o custo de serviços, ou seja, o resultado do quanto se gasta para realizar os serviços.
  • Lucro líquido: é o lucro bruto menos as deduções de imposto de renda e outras taxas administrativas.
  • Margem de lucro: é uma porcentagem que se inclui aos custos de um serviço para indicar o quanto a construtora quer ganhar sobre o serviço.
  • Receitas: ganhos financeiros.

6. Entender que o orçamento é importante e deve ser preciso

Pode parecer complicado demais fazer orçamento de obras, mas essa é uma das partes mais importantes da gestão de construtora. 

Define quanto será gasto na execução da edificação e ajuda o cliente e o construtor a terem controle sobre os gastos. Portanto, quanto mais eficiente for, melhor.

Para tornar o orçamento de obra mais preciso e evitar a falta de dinheiro para terminar os serviços planejados, é necessário prever todos os gastos. Para tanto, devem somar os custos diretos, os custos indiretos, os impostos e o lucro que a construtora espera receber.

Cada fase do projeto deve prever um tipo de orçamento: estimativa de custo, orçamento preliminar e orçamento analítico.

A estimativa de custos é como uma avaliação do custo aproximado do projeto que se baseia em projetos anteriores e tabelas disponíveis. Serve para se ter uma ideia do quanto será gasto.

Paralelo a ele, o orçamento preliminar é aquele que apresenta um detalhamento maior e já estima quantidade e custos dos pacotes de trabalho. 

Já o orçamento analítico é o mais detalhado e deve considerar todos os custos envolvidos na construção. Para ser eficiente precisa incluir, também, quantitativos de materiais, equipamentos e mão de obra.

7. Promover a própria construtora a partir de estratégias de marketing precisas

Concorda que de nada adianta se esforçar tanto para melhorar a gestão de construtora se essas mudanças não ajudarem a aumentar o faturamento? Para conquistar novos clientes e aumentar a visibilidade da construtora, a solução mais barata e rápida é a internet. Ter um site de qualidade, com informações relevantes e que ajudem a resolver os problemas dos seus clientes e atrair novos consumidores. O mesmo vale para as redes sociais, que podem ser trabalhadas para alcançar seu público-alvo.

8. Investir na própria equipe

Se os funcionários de uma construtora são os bens mais valiosos que ela pode ter, é preciso investir em capacitação para que se tornem cada vez melhores. 

Oferecer cursos, treinamentos e oportunidades para a troca de experiências funciona como meio de aumentar a motivação da equipe e elevar a qualidade dos trabalhos a serem realizados. Não deixam de representar formas de otimizar processos e a gestão de construtora.

Lembre-se sempre que sem funcionários motivados não existem obras executadas com eficiência, qualidade e segurança, muito menos sucesso.

9. Não ter medo de inovar

Empreender diante de um mercado repleto de projetos complexos e inovadores é um desafio constante. Por isso, a inovação é o melhor atalho para que a construtora possa se diferenciar da concorrência e conquistar crescimento rápido.

Pensar em novos formatos de vendas, em produtos inovadores e até mesmo em softwares de gestão de construtora que possam facilitar os trabalhos é algo imprescindível. 

A tecnologia ajuda a otimizar processos na organização, a aumentar a produtividade da equipe e a tomar decisões mais seguras (embasadas em dados). 

10. Fazer da otimização de processos uma prática contínua

A última dica para trazer eficiência para os processos que envolvem a gestão de construtora é persistência. Afinal, como diz a expressão popular: só a prática leva à perfeição.

Organizar os processos da empresa deve ser um exercício diário para que as atividades e as obras realizadas sejam cada vez mais eficientes.

Para seguir em frente rumo ao sucesso, deixe para trás o mito de que o crescimento da construtora depende apenas da chegada de novos clientes. A verdade é que, quando se olha para dentro e se percebe o que pode ser melhorado, a conquista de novos clientes é uma consequência natural do processo. 

Então, depois de conhecer todos os pontos de atenção que devem ser considerados para que a construtora possa crescer, é preciso continuar a otimizá-los. Isto é, acompanhar seus efeitos e identificar oportunidades para fazer melhorias futuras.

Esperamos que este texto ajude a inspirar você a compartilhar com a sua equipe dicas de como organizar a construtora para o sucesso. Se todos se engajarem para o mesmo objetivo, as chances de obter resultados positivos antes mesmo que o previsto são ainda maiores. 

Ficou com alguma dúvida sobre como melhorar a gestão de construtora ou quer compartilhar a experiência da sua empresa? Deixe aqui nos comentários para trocarmos ideias sobre o assunto!