Desafios de pequenas e médias construtoras

Os 5 maiores desafios das pequenas e médias construtoras no Brasil

Pequenas e médias construtoras estão sempre buscando crescimento, para isso, precisam superar os desafios da construção civil.

O mercado da construção civil é competitivo e exige muito de pequenas e médias empresas. 

Competir com as grandes construtoras, que possuem portfólios repletos de grandes obras pode ser um grande desafio, mas nada que um pouco de planejamento e atenção não torne possível.

Sim, é possível competir com grandes construtoras. 

Ainda que a competição seja grande, existem diversos diferenciais que não são associados a portfólio e que podem encher os olhos de clientes.

Superar os competidores depende de um esforço diário, principalmente com os diversos desafios que as pequenas e médias construtoras enfrentam em seu dia a dia. 

Elaborar estratégias para superar esses desafios é essencial e traz muito crescimento.

Quer saber quais são esses desafios e quais estratégias podem ajudar sua construtora a superá-los? 

Acompanhe as dicas e descubra como melhorar a competitividade de sua construtora no mercado.

5 desafios e como pequenas e médias construtoras podem superá-los

Conhecer os principais desafios que o mercado coloca para pequenas e médias construtoras é o primeiro passo para conseguir desenvolver estratégias eficientes de atuação e conseguir o tão desejado crescimento. Conheça os 5 principais desafios.

1 – Cadê o dinheiro que estava aqui?

Falta de controle financeiro é um dos principais problemas enfrentados por construtoras. 

Não saber o dia do vencimento das contas, organizar pagamentos de forma eficiente, não saber quando o pagamento do cliente cai e gastar um dinheiro que ainda não existe trazem muitos problemas.

  • Quantos dias na sua semana você perde pagando boletos que nem lembrava que venceriam? 
  • Quanto de juros por atraso? 
  • Quantos atrasos na compra de materiais por falta de caixa?

Se para comprar os materiais, contratar mão de obra e pagar as despesas diretas e indiretas da obra é preciso ter caixa, é hora de buscar formas eficientes para controlar o financeiro.

A planilha do excel é uma boa aliada, mas se o objetivo é ver o crescimento dos negócios é preciso pensar que em breve ela será insuficiente. 

Porque não investir desde o começo em um sistema automatizado e tecnológico para a gestão das contas? 

Eles reduzem erros e permitem criar alertar que tornarão o dia a dia da sua construtora muito mais simples.

2 – Qual era o próximo passo mesmo?

Saber como a obra será executada é essencial para ter os melhores resultados e poder organizar o projeto. 

O único modo de saber como tudo deve funcionar? Um bom planejamento. 

Cuidar de cada detalhe antes mesmo que a fase de execução comece evita vários problemas.

Imagine uma obra que começa com um orçamento pouco detalhado ou sem saber quais etapas podem ser realizadas ao mesmo tempo e quais devem esperar. 

Com certeza essa obra passará por momentos em que trabalhadores, que estão sendo pagos, ficarão parados esperando para realizar suas atividades.

Outro provável problema são materiais comprados que chegam muito antes do necessário, aumentando os custos com armazenamento, ou que atrasam na entrega, prejudicando o cumprimento de prazos da obra. 

Evitar atrasos depende de um bom cronograma, que só existe com um bom planejamento.

Essas pequenas falhas do dia a dia, ou as grandes como um acidente devido a um risco não previsto, podem ser evitadas se o planejamento for feito com atenção.

3 – Orçamentos são a chave para a lucratividade

Muitas construtoras cometem erros importantes nos orçamentos, principalmente as pequenas e médias construtoras, com menos experiência de mercado e menos contatos.

Não basta saber os custos totais dos materiais e serviços que a obra exige, é preciso ter controle dos custos unitários, custos indiretos e dos cálculos para margem de lucro.

Um sistema de gestão de orçamentos que coloque a construtora em contato direto com fornecedores e simplifique as pesquisas de preço é um diferencial essencial para o crescimento dos negócios.

4 – Tudo tem seu tempo

Quanta atenção sua construtora tem dado à elaboração e acompanhamento dos cronogramas? 

É hora de abrir os olhos e começar a olhar para os detalhes.

O cronograma é o que guia toda a execução da obra e que permite ver se tudo está sendo desenvolvido dentro dos prazos previstos. 

Mais do que saber se o projeto está dentro do prazo prometido para o cliente, acompanhar o cronograma permite corrigir erros e problemas antes que possam causar prejuízos.

Imagine que um dia de chuvas fortes atrasou sua obra. 

Você teria alguns materiais para recebem nos próximos dias, mas já sabe que só serão necessários na semana seguinte e não há um espaço adequado para armazenar e proteger os materiais se chover novamente.

Acompanhando o cronograma, em lugar de correr o risco de perder os materiais, sua construtora pode negociar um novo prazo de entrega com o fornecedor ou criar uma logística de transporte para que ele seja armazenado em um local mais protegido, evitando desperdícios que possam prejudicar ainda mais a obra.

5 – Os trabalhadores estão protegidos?

A Saúde e Segurança do Trabalho, ou SST, é uma área que exige investimentos e cuidado. Mais do que uma possibilidade, são normas que devem ser cumpridas para a proteção dos trabalhadores, da obra e da construtora.

Conhecer as normas de segurança que se aplicam a sua obra evita não só problemas com a fiscalização, mas gastos de dinheiro e riscos de acidentes que podem ser facilmente evitados.

Não coloque seus trabalhadores em riscos desnecessários. 

Um trabalhador que se machuca em uma obra, além de ser um ser humano que merece consideração, é uma mão de obra parada e que está sendo paga. Acidentes geram custos e atrasos e, se você pode evitá-los comprando os equipamentos de proteção e seguindo a lei, para que correr riscos?

Pequenas e médias construtoras dependem de uma boa gestão de obras

Cuidar de cada um dos desafios do dia a dia de uma construtora, independentemente de seu tamanho, depende de organização, controle e eficiência. Por isso, o principal para pequenas e médias construtoras é contar com a tecnologia e ter um bom sistema de gestão de obras.

Modernizar os processos e ter ferramentas que auxiliem no cotidiano da obra fica muito mais fácil quando um sistema integrado é capaz de fazer as diversas etapas e departamentos envolvidos em uma obra trabalharem em harmonia.

Acompanhe os conteúdos do Obra Prima e descubra como otimizar cada vez mais a gestão de obras das pequenas e médias construtoras e superar os desafios da construção civil.