Passo a passo da construção: como elaborar um cronograma de obras eficiente?

Cronogramas de obras eficientes dependem de conhecer os detalhes de um projeto e saber organizá-los, por isso, um passo a passo faz toda a diferença.

O cronograma de obras é um dos elementos que mais causa impactos nos resultados de um projeto de construção civil. 

Construtoras nunca podem se esquecer que a construção corre sempre contra o relógio e que cumprir prazos não é um diferencial, mas uma obrigação.

Basta um pequeno imprevisto para que canteiro de obras se torne palco de atrasos e problemas que podem interferir não apenas na data de entrega, mas também na qualidade da obra.

Sim, a qualidade da obra sofre e muito com a falta de um bom cronograma. 

Ele é uma ferramenta essencial para organizar etapas e atividades do canteiro de obra, garantindo que cada trabalhador tenha tempo suficiente para realizar as atividades.

Claro, não basta dizer que o cronograma de obras é essencial, é necessário mostrar.

Por isso, acompanhe aqui o passo a passo da construção para um cronograma de obras eficientes e entenda as principais dores que não ter um traz.

Cronograma de obras e as dores de não elaborar com eficiência

  1. Falha na previsão de entrega;
  2. Perda do controle financeiro;
  3. Maiores impactos de imprevistos;
  4. Maior risco de acidentes;
  5. Aumento dos desperdícios e perda de materiais;
  6. Prejuízos para outras obras.

Esses 6 itens são algumas das dores que a falta de um cronograma de obras pode causar para um projeto. 

Muito provavelmente, a construtora enfrenta essas situações sem nem saber o que as causou.

Se eu fiz uma análise de riscos, uma planilha de orçamentos e organizei meu canteiro, como um cronograma pode estar causando tantos problemas? 

É o que muitos se perguntam nesse momento.

Na verdade, a resposta é bem simples: o projeto não tem o detalhamento e acompanhamento que deveria ter e, por isso acaba apresentando problemas. 

Sim, essa é uma das principais funções do cronograma, oferecer os mínimos detalhes de cada etapa e atividade em relação a prazos. 

É com esses detalhes da construção do cronograma que os problemas são eliminados definitivamente.

Sem um cronograma de obras, o dia a dia da obra não é acompanhado em termos de produtividade. 

Isso significa que a quantidade de matéria utilizado e o tempo gasto para uma etapa se mantém como uma noção subjetiva, o que aumenta os riscos de erros.

Além disso, é detalhando cada etapa que os impactos dos riscos identificados são visualizados e elementos que não tinham sido pensados se tornam claros.

Não precisamos nem dizer que atrasos e desperdícios impactam na disponibilidade de mão de obra, estoque e dinheiro para outras construções que a empresa tenha fechado contrato.

Passo a passo de um cronograma eficiente: aprenda a elaborar

Para ajudar a controlar e eliminar essas dores a elaboração do cronograma deve ser eficiente. 

São diversos detalhes que fazem a diferença e, para garantir que a construtora consiga se lembrar de todos, trazemos um passo a passo completo. 

Acompanhe.

1. Escolha sua ferramenta de trabalho

Por muito tempo o desenvolvimento de cronogramas de obras foi feito com papel e caneta e, mesmo que para muitas pessoas sejam um jeito confortável de organizar as ideias, a eficiência depende de suporte tecnológico.

Existem duas opções principais para construtoras que desejam melhorar a elaboração de cronogramas. 

A primeira delas é a planilha do Excel. 

Faça o download gratuito da planilha de cronograma de obras do Obra Prima aqui >

Elas podem ser formatadas para automatizar a relação entre as partes e garantir que as atualizações em uma coluna sejam inseridas nas demais.

Claro, a eficiência da automatização dessas planilhas depende de um modelo que atenda a todas as necessidades do projeto e que seja formatado de modo correto.

Outra opção são os softwares de gestão de obra. 

Desenvolvidos com foco específico para a construção civil, garantem que as possibilidades de erros sejam reduzidas.

Em qualquer um dos casos é essencial que o responsável esteja atento na hora de inserir informações para não deixar passar nenhum detalhe e garantir que o cronograma atenda a todas as necessidades da obra.

2. Analise os detalhes do projeto e separe em etapas

Com a ferramenta em mãos começa o trabalho de entender o que deverá ser feito na obra para, assim, contabilizar o tempo necessário. 

O primeiro passo é estudar bem o projeto e identificar cada uma das etapas até que a construção seja finalizada.

Separar a etapa do alicerce da construção do telhado, por exemplo, não é um simples detalhe. 

Os serviços e materiais necessários para o primeiro são diferentes dos do segundo. 

Isso significa que as atividades desempenhadas mudam e, consequentemente, o tempo necessário para cada uma delas.

Apenas sabendo quais são as etapas será possível detalhar as atividades e calcular os prazos.

3. Detalhe as atividades de cada etapa

Uma vez identificadas todas as etapas é hora de desmembrar as atividades. 

A construção de uma sala térrea, por exemplo, exige que, primeiro, seja feito o alicerce, para depois serem feitas as estruturas de sustentação, muros, teto, instalação elétrica e demais partes do espaço.

Esse passo é importante e deve ser feito com todo o cuidado.

4. Pesquise o tempo necessário para cada atividade

A construtora tem as listas de atividades por etapas em mãos e é o momento de saber quanto tempo cada uma leva. 

Pesquisar com os profissionais da área e calcular a média de tempo de cada atividade permite que a obra tenha um prazo final mais realista.

Com esses dados nas mãos, as chances de que atrasos por falta de tempo ocorram é eliminada. 

Uma vez que os profissionais da obra sabem quanto tempo aquele profissional precisa para uma atividade específica, identificar atrasos e cobrar maior produtividade da mão de obra.

5. Considere as atividades relacionadas

A lista de atividades por etapa será longa, temos certeza disso, mas nem sempre isso vai significar um prazo final muito distante. 

Existem diversas etapas e atividades que podem ser feitas ao mesmo tempo, são as chamadas atividades relacionadas.

Identificar quais são essas atividades é essencial, uma vez que permitem não só calcular um prazo final mais curto, mas organizar as entregas de materiais e disponibilidade da mão de obra de forma mais eficiente.

6. Insira datas de acordo com o tempo

Com tantas etapas e atividades para serem consideradas no cronograma de obras, organizar tudo de modo que seja possível acompanhar a evolução do projeto sem falhas pode se tornar um desafio.

Por isso, ao inserir esses dados no cronograma é essencial estabelecer uma cronologia lógica. 

Ou seja: é necessário trabalhar com base em datas.

Se no cronograma a descrição é apenas de 3 dias para a primeira etapa, 2 para a segunda, 5 para a terceira, inserir os prazos por atividades e esclarecer quais delas são relacionadas e acontecem ao mesmo tempo é quase impossível.

No entanto, se a descrição é: mês de agosto, início da etapa 1 no dia 5, finalização no dia 7, início da etapa 2 no dia 6, finalização no dia 8, e assim por diante, o cronograma se torna mais claro, objetivo e compreensível para as equipes.

7. Identifique riscos e estabeleça margens de segurança

Fazer análise de riscos de acidentes é essencial para o cronograma. 

Mais do que ser utilizada para cumprir as NRs da Saúde e Segurança do Trabalho e prevenir acidentes, elas permitem considerar no cronograma as possibilidades.

Imagine que o local onde a obra vai ser realizada é, naquele período do ano, muito atingido por chuvas. No cronograma se torna necessário considerar a possibilidade de 2 ou 3 dias de atraso por conta de um dia de chuva.

Outro exemplo é que, observando que a obra tem altos riscos de quedas para os funcionários o responsável pelo cronograma já sabe que as atividades serão feitas mais lentamente e com mais cuidado do que no plano térreo.

8. Execute o que está no planejamento

A análise de riscos é essencial e muito eficiente para sistemas de prevenção nas obras, mas não se pode esquecer que imprevistos do dia a dia acontecem. 

Isso não é algo que é possível controlar, não importa o quão capacitados os profissionais sejam.

Cada obra tem suas particularidades em relação a mão de obra, materiais e clima e algumas situações são impossíveis de prevenir mesmo com um planejamento e cronograma perfeitos. 

Essa impossibilidade de previsão não pode ser ignorada.

Seguir o planejamento e executar as atividades dentro do cronograma o mais estritamente possível é essencial para que tudo seja eficiente. 

Quanto menos desvios nesse planejamento de como a obra deve acontecer, menores as possibilidades de ser surpreendido.

Além disso, fugir de alterações no planejamento reduz, ainda, as chances de gastos desnecessários de dinheiro e melhor gestão dos recursos e insumos, beneficiando todo o projeto.

Claro, alterações podem e devem acontecer quando necessárias, muitas delas são essenciais para que problemas identificados no dia a dia do canteiro sejam corrigidos ou processos sejam otimizados.

O ideal é sempre considerar que esses imprevistos e mudanças podem acontecer e colocar uns dias a mais no cronograma, por segurança. 

É sempre melhor entregar uma obra um pouco antes do prazo do que em atraso.

9. Lembre-se de medir resultados

A obra foi finalizada e entregue ao cliente, mas o trabalho do responsável pelo cronograma não acaba ainda. Medir resultados é uma das etapas mais importantes para quem cuida de cronogramas de obras.

Esse é o momento de verificar onde o cronograma teve que ser alterado ou corrigido durante a execução, quais problemas apareceram, o que foi deixado de fora e teve que ser inserido depois.

Verifique não só os erros, mas também os acertos, saiba quais mudanças deram bons frutos e geraram maior produtividade e um resultado com mais qualidade.

O cronograma de obras é um documento que, depois da finalização do projeto, se torna a base principal para a elaboração de cronogramas para próximos projetos.

Medir resultados e analisar erros e acertos gera aprendizado, o que significa que evitar a repetição de erros e perder a oportunidade de melhorar a qualidade não serão problemas no futuro da construtora.

eficiência, lucratividade e produtividade com o cronograma de obras

Eficiência, lucratividade e produtividade com cronogramas de obra

Não é difícil perceber que a qualidade do cronograma gera muitos resultados positivos para os empreendimentos de uma construtora. 

Manter-se no mercado da construção civil sempre vai depender da otimização de resultados e da conquista da confiança dos clientes, o que só é possível com obras de qualidade.

Uma vez que o cronograma é desenvolvido de modo eficiente, os trabalhos acontecem com menos desafios e o acabamento é sempre feito em tempo hábil. 

Isso significa que o que o cliente contratou será cumprido dentro do prazo e a construtora ganha mais segurança de mercado.

Otimizar um cronograma de obras, como já comentamos, depende de ter em mãos ferramentas que tornem o trabalho da construtora mais simples e que reduzam os riscos de erros, eliminando desperdícios e preservando a margem de lucro.

É isso que a Obra Prima traz para seus clientes. 

O software Obra Prima automatiza a relação entre cronograma, orçamento e planejamento, garantindo que cada detalhe de um seja considerado no outro.

Pensado especificamente para a construção civil, oferece todas as funcionalidades essenciais para que nenhum detalhe de atividades e etapas seja deixado de fora. 

Elaborar o cronograma não depende mais apenas de uma boa memória para considerar o que inserir, podendo contar com os direcionamentos que a ferramenta oferece.

Quer descobrir como funciona esse software e garantir um cronograma de obras eficiente para sua construtora? Clique no banner abaixo e agende uma conversa!

software de gestão de obra