Planilha de Orçamento de Obras Gratuita

Passo a passo para utilizar a Planilha de Orçamento de Obras de forma correta para a sua próxima obra!

Planilhas de Orçamento de Obras são essenciais para a lucratividade das construtoras. Aprenda como utilizá-las de forma correta nesse passo a passo.

A lucratividade de toda obra é garantida com um orçamento bem elaborado. 

Planilhas de Orçamento de Obra estão cada vez mais completas e automatizadas, ajudando a otimizar todo o processo de cobranças por serviços na construtora.

A pesquisa de custos, detalhamento do planejamento e análise dos prazos não são mais uma novidade para construtoras. 

Ainda assim, não são poucas as dificuldades enfrentadas no momento de colocar tudo em prática e garantir que os custos fiquem dentro do valor do contrato.

Toda construtora que deseja crescer e lucrar na construção civil deve se fazer algumas perguntas:

  • Os orçamentos de obra têm resultado em prejuízo?
  • A construtora está pagando pelo projeto do próprio bolso?
  • O valor final dos serviços terceirizados sempre são maiores do que os previstos?
  • Sempre ocorrem atrasos que aumentam os custos da obra?

Se a resposta para uma (ou mais) dessas perguntas é sim, é hora de rever como os orçamentos estão sendo feitos. 

Para ajudar a garantir orçamentos mais precisos, acompanhe as dicas deste post. 

É hora de utilizar as planilhas para garantir lucratividade e eliminar tantos problemas.

Passo a Passo da Planilha de Orçamento de Obras: conheça todos os detalhes

Saber como montar uma planilha de orçamento de obras eficiente é essencial para otimizar os processos de um projeto de construção civil. Se a construtora ainda encontra dificuldades em construir orçamentos, basta acompanhar o passo a passo para garantir os melhores resultados:

1. Faça um levantamento dos serviços

O primeiro passo para um orçamento preciso é saber exatamente quanto pagar por cada serviço realizado. 

Essa composição de custo leva em consideração a mão de obra, o material e os equipamentos.

Pense na construção de uma parede sem portas ou janelas de uma casa. 

Para realizar esse serviço é preciso de: 

  • tijolos, 
  • cimento, 
  • massa corrida, 
  • tinta, 
  • mão de obra do pedreiro e do pintor, 
  • equipamentos de proteção individual, 
  • rolos de pintura;
  • e outros elementos que garantem que ela seja construída e receba o acabamento necessário.

Se consideramos que nessa parede será necessário acrescentar uma viga de sustentação ou instalações hidráulicas e elétricas, outros custos serão envolvidos.

Assim, começar um orçamento depende, primeiro, de detalhar cada serviço realizado e saber exatamente o que será necessário contratar ou comprar.

2. Realize uma análise de composição de preços unitários

Agora que a construtora conhece os serviços, é necessário levantar os custos dele. 

Sabendo o que cada serviço exige, os responsáveis pelo orçamento devem levantar os custos dos insumos e definir o valor do orçamento para que ele seja realizado.

Pesquisar os preços de fornecedores, prestadores de serviços, compra e locação de equipamentos com calma e cuidado é essencial. 

Lembre-se, nesse momento você está cotando serviço por serviço, a qualidade não deve ser deixada de lado para conseguir melhores preços, a negociação vem depois.

3. Identifique possibilidades de negociação

Depois de cotar os preços unitários e colocá-los na planilha, a construtora começa a ter uma ideia de volumes totais de materiais e serviços. É hora de buscar as melhores oportunidades.

Com quantidades mais altas de tempo de serviço, materiais e equipamentos que serão utilizados por mais tempo por estarem presentes em mais de uma etapa, é possível negociar os custos com os fornecedores.

Mais uma vez, não abra mão de qualidade de materiais e serviços, não arrisque retrabalhos ou gastos futuros por ter obtido resultados pouco satisfatórios. Ainda mais importante, fique atento a prazos. 

Não adianta conseguir serviços de qualidade com bom preço se a equipe não for capaz de cumprir os prazos.

Uma das formas mais eficientes de negociar é utilizando, na construção do orçamento, a curva ABC, que ajuda a identificar as prioridades da obra e os materiais mais importantes e sensíveis.

Para entender melhor, veja nossa explicação sobre a curva abc e sua importância.

4. Não esqueça dos custos indiretos e acessórios

Um dos maiores erros de orçamento de obras é focar muito em materiais, serviços e equipamentos e esquecer de outros custos obrigatórios. Existem diversas taxas trabalhistas, seguros, documentações e legislações a serem cumpridas.

Estar em conformidade com as Normas Regulamentadoras da construção civil é exigido por lei e têm seus custos. Não cumprir com essas normas pode causar prejuízos imensos para a construtora. O mesmo vale para processos trabalhistas por irregularidade de contrato.

5. Não se esqueça do BDI

Benefícios e Despesas Indiretas, ou BDI, tem um grande impacto no custo final dos projetos. Já mencionamos a necessidade de considerar custos indiretos e acessórios antes, mas no caso do BDI os custos indiretos não estão ligados à execução da obra.

Isso significa, de maneira mais simplificada, que é preciso considerar sempre os custos de manter a empresa funcionando. 

Os gastos do escritório, como: 

  1. Contas de água;
  2. Luz; 
  3. Telefone; 
  4. Pagamento de funcionários do RH; 
  5. Financeiro e contabilidade; 
  6. Secretárias;
  7. e outros custos independentes da obra devem ser considerados. 

Aqui entram, também, impostos, seguros, tributos e margens de lucro.

É importante aplicar esse cálculo linearmente em toda a planilha para ter um valor real e não ser surpreendido no futuro.

Planilhas de orçamento de obras: a tecnologia a favor da otimização

Elaborar orçamentos precisos não é uma tarefa fácil. Como vimos, depende de diversos detalhes e contas complexas para se chegar a um valor que não cause prejuízos à construtora e atenda às necessidades do projeto.

Automatizar essas contas pode ser uma das maiores vantagens para quem deseja garantir valores exatos. 

Afinal, fazer as contas no papel e na calculadora criam uma margem de erro muito grande para ser desconsiderada. 

5 segundos de desatenção, uma vírgula fora do lugar e todo o projeto é colocado em risco.

Por muito tempo, uma das formas de reduzir as chances de erro foi utilizar planilhas no Excel, onde fórmulas podem ser inseridas e as contas são feitas automaticamente à medida que os valores são inseridos.

Apesar de ser uma boa alternativa, a tecnologia oferece, hoje, opções melhores. Softwares especializados em orçamentos da construção civil são uma das inovações que mais beneficia as construtoras.

Mais do que automatizar cálculos e reduzir riscos de erros, são uma forma eficiente de criar alertas de cobrança, monitorar fluxo de caixa, manter uma relação mais próxima com fornecedores e acompanhar os custos de materiais.

Esses softwares de orçamento de obra, mais do que cuidar da criação do orçamento, permitem acompanhar o financeiro da empresa, gestão de estoque e garantir um alinhamento mais preciso.

Quer saber mais sobre as facilidades de softwares e planilhas de orçamento de obras? Acompanhe os conteúdos exclusivos da Obra Prima.